Ao invés de diminuir pelo aumento do nível do mar, a área de Tuvalu está crescendo

27

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Tuvalu, um país no Pacífico há muito visto como um candidato principal para desaparecer à medida que a mudança climática eleva os níveis do mar, está realmente crescendo em tamanho, mostram novas pesquisas.

Um estudo da Universidade de Auckland examinou as mudanças na geografia dos nove atóis de Tuvalu e 101 ilhas do recife entre 1971 e 2014, usando fotografias aéreas e imagens de satélite.

Oito dos atóis e quase três quartos das ilhas cresceram durante o período de estudo, elevando a área de terra total de Tuvalu em 2,9%, embora o nível do mar no país tenha subido o dobro da média global.

O coautor, Paul Kench, disse que a pesquisa, publicada na revista Nature Communications, desafiou o pressuposto de que as nações insulares seriam inundadas à medida que o mar subisse.

“Nós tendemos a pensar nos atóis do Pacífico como formas de relevo estáticas que simplesmente serão inundadas à medida que os níveis do mar aumentam, mas há cada vez mais evidências de que essas ilhas são geologicamente dinâmicas e estão mudando constantemente”, disse ele. “Os achados do estudo podem parecer contra-intuitivos, dado que o nível do mar tem aumentado na região ao longo do último meio século, mas o modo dominante de mudança ao longo desse tempo em Tuvalu foi expansão e não erosão”.

Ele descobriu que fatores como padrões de ondas e sedimentos despejados pelas tempestades poderiam compensar a erosão causada pelo aumento dos níveis de água.

A equipe de Auckland diz que a mudança climática continua sendo uma das principais ameaças para as nações insulares baixas, mas argumenta que o estudo deve repensar a forma como tais países respondem ao problema.

Ao invés de aceitar suas casas estão condenadas e ansiosos para migrar para países como Austrália e Nova Zelândia, os pesquisadores dizem que deveriam começar a planejar um futuro a longo prazo.

“Com base nesta pesquisa, projetamos uma trajetória marcadamente diferente para as ilhas de Tuvalu no próximo século do que o comumente previsto”, disse Kench. “Embora reconheçamos que a habitabilidade se baseia em vários fatores, é improvável que a perda de terras seja um fator para forçar o despovoamento de Tuvalu”.

Os autores do estudo disseram que as nações insulares precisam encontrar soluções criativas para se adaptar às mudanças climáticas que levem em conta a geografia em evolução dos seus países.

Traduzido e adaptado de Phys.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...