Astrônomos resolvem mistério de “sinal estranho” vindo do espaço

13

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Os astrônomos finalmente resolveram o mistério de sinais peculiares provenientes de uma estrela próxima, uma história que provocou intensas especulações públicas sobre talvez a vida alienígena ter sido encontrada.

O sinal, que foi formalmente chamado de “estranho” era interferência de um satélite distante.

Claro, os astrônomos disseram que, ao longo dos tempos, os extraterrestres estavam bem no final da lista de possibilidades para os sinais detectados de Ross 128, uma estrela classificada como anã vermelha e localizada a cerca de 11 anos-luz de distância.

Para os especialistas, o verdadeiro mistério era que eles não conseguiam descobrir se as explosões eram atividade estelar incomum, emissões de outros objetos de fundo ou interferência das comunicações por satélite.

“No entanto, muitas pessoas estavam mais interessadas nos sinais como prova potencial de transmissões de uma civilização inteligente extraterrestre”, escreveu Abel Mendez, diretor do Laboratório de Habitabilidade Planetária da Universidade de Porto Rico em Arecibo, revelando a verdadeira natureza dos sinais.

Depois de aprofundar a especulação ao convocar os especialistas mundiais na busca da vida em outros lugares do universo, o Centro de Pesquisa SETI, na Universidade da Califórnia, em Berkeley, emitiu a sua conclusão.

“Estamos agora confiantes sobre a fonte do sinal estranho”, escreveu Mendez. “A melhor explicação é que os sinais são transmissões de um ou mais satélites geoestacionários”.

Os sinais só apareceram em torno de Ross 128 porque a estrela está localizada “perto do equador celestial, onde muitos satélites geoestacionários são colocados”, acrescentou Mendez.

Ele também divulgou os resultados de uma pesquisa informal que ele publicou em seu site, pedindo que as pessoas falassem sobre o que achavam que era a fonte dos sinais, e se eles eram ou não cientistas da área.

“Quase 800 pessoas participaram dessa pesquisa informal, incluindo mais de 60 astrônomos”, escreveu ele.

O consenso do grupo era de que os sinais eram provavelmente provenientes de alguma atividade estelar ou algum fenômeno astronômico.

A maioria das pessoas descartou a possibilidade de interferências de rádio ou falhas instrumentais, dizendo que estas eram menos prováveis. Isto, explicou Mendez, dificilmente era uma abordagem científica da questão.

“Isso é interessante porque, na ausência de informações sólidas sobre o sinal, a maioria dos astrônomos pensaria que estas provavelmente eram a explicação mais provável”, escreveu Mendez.

Além disso, cerca de um quarto dos entrevistados disse que “a explicação mais provável do sinal era a de uma comunicação com uma inteligência extraterrestre”, acrescentou. “Esses resultados refletem as expectativas ainda altas que o público mantém na possibilidade de entrar em contato com inteligência extraterrestre”.

“A lição aqui é que todos precisamos continuar a explorar e compartilhar resultados abertamente. Algumas pessoas preferem apenas aprender sobre os sucessos, mas outras preferem a ciência em tempo real, independentemente do resultado final”, concluiu o cientista.

Traduzido e adaptado de Phys

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...