A cafeína realmente pode causar desidratação?

142

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A cafeína – encontrada no café, chá, refrigerantes e até mesmo no chocolate – é a substância psicoativa mais consumida no planeta. Utilizada como um meio para animar as pessoas, o estimulante é legal e não regulado na maior parte do mundo. No entanto, é comum pensar que a cafeína é responsável por alguns efeitos colaterais indesejáveis, como a desidratação.

A ideia de que a cafeína pode causar desidratação pode ser atribuída a um estudo de 1928, que observou o aumento da frequência urinária em pessoas que bebem bebidas cafeinadas e sugeriu que a cafeína é um diurético, segundo Lawrence Armstrong, professor da Universidade de Connecticut. A ideia se espalhou, e a reputação da cafeína como uma substância que causa desidratação se solidificou.

Porém, a ciência diz que isso é um pouco mais complicado.

[5 fatos interessantes sobre a cafeína]

“A verdade é que um pequeno aumento na produção de urina tem um pouco a ver com a desidratação do corpo”, disse Armstrong.

Ele acrescentou que qualquer aumento de fluídos vai causar um aumento na produção de urina. “Se você beber um litro de água, vai urinar mais. Isso não significa que você não deve beber água”, ressalta o pesquisador.

Em 2005, Armstrong e uma equipe de pesquisadores resolveram analisar a questão. Eles controlaram as dietas de 59 homens saudáveis por 11 dias, completando o seu consumo diário com doses de cafeína adequadas à sua massa corporal, administrada 2 vezes por dia através de capsulas. Ao longo do estudo, os pesquisadores empregaram 20 diferentes biomarcadores de hidratação, como volume de urina e equilíbrio de fluídos, para avaliar a desidratação.

Estudos anteriores haviam investigado os efeitos da cafeína em curtos períodos de tempo, mas a pesquisa de Armstrong e sua equipe foi a primeira a avaliar o consumo de cafeína durante um período contínuo superior a 24 horas.

O estudo constatou que os indicadores de hidratação avaliados – incluindo o volume de urina – foram semelhantes em todos os grupos de tratamento. Esta constatação demonstra que a cafeína não tem um feito desidratante quando comparado ao grupo de controle (participantes que receberam um placebo ao invés de cafeína).

De acordo com um estudo realizado pela Universidade do Centro de Washington, o café continua sendo a fonte mais significativa de cafeína na dieta estadunidense. Apesar de não causar desidratação, existem rumores de que ele pode ser prejudicial em algumas outras questões sobre saúde.

“O fato de que não temos salas de emergência cheias de pessoas que tomaram bebidas cafeinadas é uma prova clara… Se houvessem efeitos negativos na saúde, certamente teriam sido identificados”, ressaltou Armstrong.

Armstrong afirma que a dose letal de cafeína é de cerca de 10 mil miligramas por dia. Para colocar esse número em perspectiva, uma xícara de 230 mililitros de café contém cerca de 95 miligramas de cafeína. Assim, para ter uma overdose, seria preciso tomar mais de 100 xícaras de café em um único dia.

De fato, alguns estudos mostram que o café tem uma série de benefícios para a saúde. “Há muito mais em um grão de café do que a cafeína”, disse Armstrong. “A maior ingestão de antioxidante entre os adultos na América é proveniente do café.”

[Live Science]

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...