Castores europeus são fieis a seus companheiros

Créditos: Kevin Ebi/Alamy)
73

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Ao contrário dos seres humanos (ou da maioria deles), grande parte dos animais do nosso planeta não são monogâmicos, e mesmo se vivem com um par específico, “pulam a cerca” diversas vezes. Entretanto, esse não é o caso dos castores europeus. Uma nova análise genética não apenas mostra que eles são monogâmicos, mas também que são bastante fiéis.

Quem liderou o novo estudo foi Pavel Munclinger, da Charles University, em Praga, na República Tcheca, que extraiu exemplares de diversas colônias de castores vivendo na região de Kirov, na Rússia. Então, junto com sua equipe, Pavel analisou as relações genéticas dos grupos familiares.

 

Créditos: Kevin Ebi/Alamy)
Créditos: Kevin Ebi/Alamy)

 

O que chamou atenção foi que toda a prole de cada colônia pertencia aos meus pais. Nenhuma fêmea havia reproduzido com outros machos.

No entanto, ainda que os castores europeus sejam fieis, não se pode dizer o mesmo dos seus semelhantes norte-americanos. Os castores da América do Norte são conhecidos por reproduzir com parceiros que não são de seu grupo familiar.

Um estudo realizado em 2008 descobriu que em um par de filhotes da mesma família, pelo menos um deles não estava relacionado ao mesmo pai.

A diferença entre os castores europeus e norte-americanos pegou Munclinger de surpresa. “Eles são muito semelhantes, e vivem também de forma parecida. É surpreendente que eles tenham tantas diferenças”, disse.

Em contrapartida, os castores norte-americanos apresentam comportamentos menos agressivos que seus primos europeus.

Ainda que na sociedade humana a traição seja vista quase sempre como algo negativo, o hábito tem suas vantagens. Se uma fêmea reproduz com um macho mais saudável que seu parceiro principal, ela garante filhotes com genes melhores.

Entretanto, Munclinger apresenta um ponto de defesa para os castores monogâmicos. “A monogamia genética diminuiu o risco da transmissão de parasitas. Além disso, diminui o risco de deixar o filhote sem pai ou mãe – o que é muito importante em espécies com significante cuidado parental por parte dos dois sexos”, explicou.

Fato é que muito poucas espécies são monogâmicas no reino animal. Mesmo entre os humanos, que são os que mais valorizam a monogamia, o hábito da traição é extremamente comum. Além dos seres humanos, os animais que mais apresentam hábitos monogâmicos são os pássaros, e mesmo assim, não é raro encontrar um filhote de pai diferente em um ninho.

Fonte: BBC

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...