Saiba como ver a chuva de meteoros originária do cometa Halley

14

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

A chuva de meteoros orionídea está atingindo a Terra, e se você tiver sorte o suficiente, poderá observá-la ao longo desta semana.

A chuva, formada pelos detritos da passagem do cometa Halley, tem seu pico nos dias 20 e 21 de outubro, mas continua visível até 14 de novembro. Ela contará com cerca de 20 a 25 meteoros por hora, cada um deles viajando a cerca de 66 km/s.

Para observá-la, basta olhar para a constelação de Órion, porque podemos ter a impressão que ela se origina de lá.

“Esta chuva é uma das cinco maiores chuvas do ano”, disse o meteorologista Brian Leda.

 

Conhecida por ser particularmente brilhante, você poderá observar o fenômeno com muito mais facilidade em regiões com baixa poluição luminosa.

Localização da constelação de Órion no céu
Localização da constelação de Órion no céu

O que causa uma chuva de meteoros?

As órbitas dos cometas muitas vezes são desequilibradas. Quando um cometa passa muito perto do Sol, sua superfície gelada ferve, liberando partículas de gelo e de poeira.

Esse rastro segue o caminho do cometa, formando uma cauda que aponta para longe do Sol. Como a Terra cruza a órbita de alguns cometas, passamos pelo rastro deixado pela cauda.

A gravidade da Terra atrai a poeira e gelo que o cometa deixou para trás. No momento em que os detritos entram na atmosfera, eles queimam ao entrar em contato com as moléculas de ar, cortando o céu da forma que estamos acostumados a ver.

 

[IFFCG]

 

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...