Cienstistas russos criaram nanopartículas capazes de revolucionar a computação

16

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Uma equipe de cientistas russos criou nanopartículas de silício especiais que podem ser usadas como nanoantenas de luz para o processamento de informações em linhas de comunicação de fibra óptica e nos chips de computadores ópticos da próxima geração, de acordo com um estudo publicado na revista ACS Photonics.

A agência russa afirma que a equipe criou partículas especiais de silício convencionais que possuem propriedades ópticas não lineares: interagem com a luz de forma incomum, fazendo mudar de direção, dependendo de sua intensidade e outras propriedades físicas. Estas propriedades são fundamentais para a criação dos primeiros transitores totalmente ópticos.

Nanoantenas criadas a partir de nanoesferas de silício são configuradas para trabalharem com feixes de luz com um comprimento de onda, intensidade e duração determinada. Quando a luz incide sobre as nanopartículas, seu destino depende de suas próprias propriedades e da chamada de elétrons do plasma no interior da mesma.

As propriedades deste plasma podem mudar através de longos e curtos pulsos de luz. Ao mesmo tempo, as experiências mostraram que estas alterações não são irreversíveis e permanentes, o que permite usar tais estruturas como base para os sistemas de comunicação ultra-rápidos. [ACS Photonics]

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...