Cientistas conseguem sequenciar pela primeira vez o genoma de percevejos

9

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Cientistas do Museu Americano de História Natural conseguiram pela primeira vez completar o genoma de percevejos. De acordo com o release publicado no portal EurekAlert, os cientistas acreditam que a nova façanha possa ajudar a combater a resistência desses insetos a pesticidas. O estudo foi publicado no ‘Nature Communications‘.

Os cientistas extraíram DNA e RNA de espécimes vivas, incluindo exemplares de uma população que permanece sob os cuidados do museu desde 1973. O RNA foi extraído de machos e fêmeas em cada um dos seis estágios de vida dos insetos. Além disso, os cientistas separaram o material extraído antes e depois dos insetos se alimentarem de sangue.

“Não basta apenas sequenciar o genoma, porque ele por si só não nos diz muita coisa. Além do DNA, você precisa extrair o RNA, e não apenas de um único percevejo, mas de machos e fêmeas em cada período de sua vida. Aí então você pode começar a fazer perguntas sobre como certos genes estão relacionados aos hábitos alimentares, resistência a inseticidas e outras funções vitais”, explicou Mark Siddall, um dos autores do estudo e curador da Divisão de Zoologia de Invertebrados do museu, de acordo com o release do EurekAlert.

Os cientistas foram capazes de perceber, por exemplo, que alguns genes só eram apresentados pelos insetos depois que eles se alimentavam de sangue pela primeira vez. Alguns desses genes foram ligados à resistência aos inseticidas. Isso sugere que os percevejos são mais vulneráveis durante os primeiros estágios de sua vida, dizem os autores.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...