Cientistas criaram molécula sintética que pode ser a chave contra a resistência aos antibióticos

A resistência aos antibióticos nas bactérias, que inclui tanto as bactérias comuns quanto as chamadas “superbactérias”, é um problema sério e globalmente reconhecido. A ONU elevou a questão a um nível de crise há quase um ano, e a Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou que esta está piorando rapidamente.

Há uma infinidade de possíveis respostas à resistência aos antibióticos, e pesquisadores da Universidade de Montreal (UdeM) no Canadá podem ter encontrado uma possível solução.

Em um estudo publicado na revista Scientific Reports em novembro, uma equipe de pesquisadores do Departamento de Bioquímica e Medicina Molecular da UdeM explorou um método que poderia bloquear a transferência de genes de resistência a antibióticos.

Os pesquisadores concentraram-se na prevenção de um mecanismo que permite codificar genes de resistência aos antibióticos em plasmídeos – que são fragmentos de DNA que podem transportar genes que codificam as proteínas capazes de tornar a bactéria resistente a drogas.

Eles encontraram os locais de ligação exatos para essas proteínas, que são essenciais na transferência de plasmídeos. Isso permitiu que eles fornecessem moléculas químicas mais potentes e que reduzam a transferência de plasmídeos portadores de genes e antibióticos.

“Você quer ser capaz de encontrar o ‘ponto fraco’ de uma proteína e direciona-la para que não possa funcionar”, disse Christian Baron, da faculdade de medicina da UdeM. “Outros plasmídeos têm proteínas semelhantes, alguns têm proteínas diferentes, mas acho que o valor do nosso estudo é que, ao conhecer a estrutura molecular dessas proteínas, podemos conceber métodos para inibir sua função”.

Os efeitos das bactérias resistentes a antibióticos são autoexplicativos. Os antibióticos continuam a ser uma peça importante da medicina moderna, e quando se tornam ineficazes, o que nos resta são as superbactérias causadoras de doenças que são muito mais difíceis de tratar e curar.

De acordo com um relatório de uma comissão especial criada no Reino Unido em 2014, intitulada “Revisão sobre resistência antimicrobiana”, bactérias resistentes aos medicamentos podem matar cerca de 10 milhões de pessoas em 2050. Além disso, a OMS informa que há cerca de 480.000 casos de tuberculose resistentes a várias drogas ao redor do planeta todos os anos.

A resistência aos antibióticos é um problema que precisamos resolver o mais rápido possível. Felizmente, há vários grupos trabalhando na questão, com uma variedade de abordagens.

“As pessoas devem ter esperança. A ciência trará novas ideias e soluções para esse problema. Há uma grande mobilização neste assunto. Eu não diria que me sinto seguro, mas estamos fazendo progressos”.

Traduzido e adaptado de Futurism.

Comentários
Carregando...