f

Cientistas vão investigar estrela misteriosa em busca de vida alienígena

Astrônomos estão prestes a começar a monitorar a misteriosa “megaestrutura alienígena” – conhecida como estrela Tabby – que em 2015, pela primeira vez, começou a apresentar um escurecimento irregular.

O projeto pretende monitorar a estrela utilizando o Green Bank Telescope, localizado em West Virginia, procurando por qualquer tipo de sinal de rádio que possam explicar esse comportamento estranho.

“O Telescópio Green Bank é o maior telescópio de rádio totalmente dirigível do nosso planeta, e é o telescópio mais sensível, capaz de olhar para a estrela de Tabby”, disse o codiretor do projeto Andrew Siemion, do SETI (sigla em inglês para Pesquisa de Inteligência Extraterrestre), da Universidade da California, antes de continuar: “Com ele podemos trabalhar com maior sensibilidade e maior gama de tipos de sinais em relação a qualquer outro experimento já realizado”.

Caso você não saiba, a estrela Tabby – nomeada em homenagem ao nome inicial da autora do estudo, Tabetha Boyajian – ganhou manchetes em 2015 quando astrônomos perceberam sua luz experiencia quedas de até 22%.

Normalmente, as estrelas escurecem cerca de 1% de tempos em tempos, indicando que possivelmente um planeta está atravessando o espaço entre o astro e nossos telescópios. Uma queda de 22%, no entanto, nunca havia sido observada. Isso fez com que fosse iniciado um debate sobre o que poderia estar causando isso.

Um pesquisador chegou a sugerir que o escurecimento pode ser causado por uma megaestrutura alienígena, como uma esfera de Dyson, que pode estar circundando a estrela a 1500 anos luz de distância da Terra.

Outra hipótese mais plausível é que existe um conjunto de cometas orbitando a estrela, bloqueando a luz em padrões estranhos. No entanto, ninguém foi capaz de encontrar provas concretas para isso também.

Agora, pesquisadores do SETI esperam finalmente resolver o mistério de uma vez por todas, fazendo desse o primeiro projeto do Breakthrough Listen, uma iniciativa financiada pelo investidor Yuri Milner e pelo renomado cientista Stephen Hawking, que busca procurar por vida inteligente no universo.

Essa não é a primeira vez que a estrela é estudada.

“Todo mundo, cada telescópio da SETI, cada astrônomo que possui qualquer tipo de telescópio em qualquer comprimento de onda que possa observar a Tabby, já fez isso”, disse Milner. “Ela foi observada com o Hubble, com o Keck, com infravermelho, rádio, e todas as formas possíveis que você possa imaginar. E nada foi encontrado”. Mas o novo projeto irá utilizar um rádiotelescópio muito maior para de fato “ouvir” a estrela e tentar detectar qualquer atividade incomum.

Para realizar o novo experimento, uma equipe de pesquisadores do SETI, incluindo Boyajian, irá gravar 8 horas de observações durante três noites ao longo do próximos dois meses. Durante esse tempo, a equipe planeja gravar 1 petabyte de informações de rádio – ou 1 milhão de gigabytes. Basicamente, a equipe está procurando por sinais de vida inteligente em diferentes sinais de rádio – quase como você faz quando procura estações específicas de rádio.

Apesar da euforia em relação à estrela, a equipe é cética em relação a possibilidade de uma civilização alienígena avançada estar por trás do comportamento incomum da estrela.

“Eu não acredito muito nessa possibilidade – uma chance de uma em um bilhão, talvez – mas de qualquer forma, nós vamos checar”, disse o cientista Dan Werthimer. “Mas se algum dia descobrirmos vida inteligente no universo, acho que vai ser assim. Vai ser alguma coisa bizarra que alguém encontrou por acidente… algo que ninguém esperava, e então quando olharmos mais profundamente, veremos que é uma civilização”.

Não há previsão sobre quando a equipe terá coletado e publicado todos os dados analisados, o que significa que teremos que ser pacientes antes de saber qualquer desdobramento da pesquisa.

Originalmente por Josh Hrala | ScienceAlert

Você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...