Como os sons do sexo ajudam as colheitas a serem mais fáceis

7

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Fazer os alimentos chegarem até a nossa mesa não é uma tarefa fácil. Existe toda uma cadeia envolvida nesse processo, desde a preparação da terra para semear as sementes até o transporte dessas frutas e vegetais via caminhão ou assemelhado ao supermercado.

Dez anos atrás, uma doença bacteriana começou a corroer a cultura de citros da Flórida. E a forma como os cientistas resolverem essa situação foi bem peculiar.

Entende-se por citros a classificação das plantas que originam frutas como lima, tangerina, limão e laranja. A bactéria que vinha arrasando a cultura de citros é chamada de huanglongbing ou citrus greening, e faz com que os frutos cresçam disformes e amargos. Em casos mais extremos, a bactéria pode inclusive matar as árvores. Desde 2005, estima-se que a infecção tenha causado bilhões de dólares em danos e prejuízos.

cats

Porém, a bactéria não agia sozinha. O micróbio contava com a ajuda involuntária de um minúsculo inseto alado, o psilídeo cítrico, que espalha a bactéria enquanto se alimenta.

Tudo mudou quando os pesquisadores do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) e da Universidade da Flórida encontraram maneira livre de pesticidas para combater o inseto: confundir a sua capacidade de encontrar um companheiro.

Quando os psilídeos do sexo masculino estão à procura de amor, eles batem suas asas, enviando vibrações ao longo dos ramos das árvores. As fêmeas nas proximidades pegam esse sinal e enviam de volta o delas, dizendo que os machos podem se aproximar. Os pesquisadores captaram os sons das preliminares através de um microfone, então, quando o macho enviava o sinal, os pesquisadores liberavam o som eletrônico da fêmea mais rapidamente do que as reais poderiam responder.

O som eletrônico atraiu uma série de machos, que, ao invés de encontrarem uma fêmea no local, encontravam um daqueles papéis colantes usados como armadilhas para moscas.

A técnica ainda não está pronta para o mercado. Por um lado, embora o som possa enganar os insetos, eles ainda podem desviar da armadilha colante.

Mesmo assim, os pesquisadores estão confiantes que esse tipo de interferência pode reduzir bastante os números globais da praga.

Fonte: Scientific American

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...