Corvos são capazes de planejar o futuro tão bem quanto humanos e macacos, afirma estudo

Quando pensamos que os corvos não poderiam ser mais inteligentes, novas pesquisas mostram que eles são tão capazes de planejar com antecedência quanto humanos e macacos. Eles também podem usar ferramentas melhor do que macacos e maior autocontrole do que crianças de quatro anos de idade.

As novas descobertas mostram que o planejamento de eventos futuros pode ter evoluído nesses pássaros depois que eles e os mamíferos compartilharam um antepassado comum há mais de 300 milhões de anos.

“Nossos resultados mostram que os corvos combinam um conjunto de habilidades para resolver uma série de tarefas de maneira semelhante aos macacos”, disse Mathia Osvath, da Universidade de Lund, na Suécia.

Osvath diz que a equipe replicou os mesmos experimentos realizados em macacos em um estudo anterior e descobriu que os corvos são mais bem sucedidos no uso de ferramentas e troca entre elas, mesmo que não tenham uma predisposição a tais habilidades.

Não é nenhum segredo que os corvos têm uma sólida reputação de aves mais inteligentes.

Isto não se trata de vencer em jogos de resolução de problemas, mas até mesmo de planejar refeições. Algumas espécies como Aphelocoma californica podem preparar “café da manhã” para a manhã seguinte. Para evitar a fome, eles armazenam tipos específicos de alimentos em locais onde não estariam prontamente disponíveis.

A espécie Corvus corax também mostrou brilhante acúmulo de comida. Mas até agora, os pesquisadores assumiram que esse comportamento era devido a uma adaptação específica ao armazenamento de alimentos em vez de um amplo conjunto de habilidades de planejamento semelhantes ao que os humanos e macacos fazem.

Para observar mais atentamente, a equipe colocou os pássaros para fazer uma série de exercícios que foram originalmente realizados por grandes macacos.

O primeiro experimento verificou se as aves poderiam planejar um evento em intervalos de 15 minutos.

Depois de treinar os corvos para usar uma ferramenta específica para abrir uma caixa, a equipe tirou a ferramenta dos pássaros por uma hora. Quando os pesquisadores retornaram, eles apresentaram cada corvo com uma seleção de objetos, incluindo a ferramenta de abertura de caixa.

Uma vez que 15 minutos se passaram, a caixa foi trazida de volta com uma recompensa. Na maioria dos casos, os corvos escolheram a ferramenta correta e a usaram para desbloquear a caixa com uma taxa de sucesso de 86%.

Continuando o exercício, os pesquisadores ampliaram o tempo de espera para 17 horas. Mais uma vez, os corvos tiveram sucesso, com uma pontuação de 89%.

Em seguida, os pesquisadores colocam as habilidades de troca de corvos à prova. Para começar o jogo, os corvos tiveram que escolher o token de troca de comida correto dentre um grupo de objetos. Para que os corvos recebessem sua recompensa prometida, eles precisavam esconder o token escolhido para usar mais tarde.

Mesmo que eles não usem ferramentas na natureza, os resultados mostraram que as habilidades de troca de corvos eram melhores que as dos chimpanzés, bonobos e orangotangos. A habilidade de manipulação de ferramentas dos pássaros também estava ao nível dos grandes macacos.

A equipe também testou se os corvos eram capazes de autocontrole.

Desta vez, os pássaros foram apresentados com uma seleção de ferramentas de abertura de caixa, tokens de troca e objetos de distração. A equipe também ofereceu uma recompensa instantânea além da recompensa na caixa. Neste exercício, os corvos só podiam selecionar um item em geral.

Apesar da tentação de uma recompensa imediata, os corvos preferiram a recompensa de melhor qualidade dentro da caixa, optando por ela em 70% das vezes. Neste teste, os corvos superam os macacos e as crianças de quatro anos.

Além de mostrar o quanto os corvos são inteligentes, os resultados oferecem pistas sobre como as habilidades cognitivas podem ter evoluído, já que aves e mamíferos compartilhavam um antepassado comum há 320 milhões de anos.

A pesquisa foi publicada na revista Science.

Traduzido e adaptado de Science Alert.

Você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...