Dióxido de Carbono: registrado mais de 400 PPM no Havaí

20

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Por mais um mês, os cientistas conseguiram medir mais um recorde de dióxido de carbono. Desta vez, o registro se estende além das rochosas encostas do Mauna Loa, localizado no Havaí, com o registro de dióxido de carbono de maior intensidade. A pesquisa inclui mais 39 lugares ao redor do mundo, sendo elaborado um quadro, que pode ser muito preocupante referente ao aumento de um dos gases causadores do efeito estufa.

A animação mostra como se move o dióxido de carbono em todo o planeta. Crédito: NASA / YouTube

Pela primeira vez desde que os dados começaram a serem coletados, os níveis de dióxido de carbono ultrapassaram 400 partes por milhão (ppm) a nível mundial, de acordo com dados coletados recentemente e publicados no mês de março. As emissões de dióxido de carbono (CO2), são o principal motor da mudança climática e desde os tempos da Revolução Industrial, o dióxido de carbono subiu mais de 120 partes por milhão (ppm). O planeta aqueceu cerca de 1,6 ° F durante esse período.

Esta não é a primeira vez que este valor preocupante causou notícia. Em maio de 2013, as medições do dióxido de carbono coletados em Mauna Loa, ultrapassou 400 ppm pela primeira vez. As medidas foram tomadas continuamente no local desde 1958 e apresentaram o registro mais long de dióxido de carbono atmosférico no planeta.

Em abril do ano passado, 12 observatórios no hemisfério norte, incluindo o de Mauna Loa, em média, alcançaram 400 ppm para a primeira vez na história.

Mas o que torna o novo registro mais profundo é que os 400 ppm é que esta quantidade está oficialmente registrado em nível global. As concentrações provavelmente permanecerão acima dessa marca até maio, quando as plantas irão florescer no início hemisfério norte para absorver o dióxido de carbono do ar.

Independentemente da localização, todas as estações de medição de dióxido de carbono têm mostrado uma tendência ascendente com pequenos sinais de abrandamento.

Fonte: LiveScience

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...