Artigos científicos, notícias e muito mais.

Só “cortar” gordura não adianta de nada para dietas de logo prazo

Trainer measures overweight man

Havard – A revista The Lancet Diabetes & Endocrinology publicou uma grande análise, envolvendo vários estudos sobre o tema das dietas de baixa ingestão de gorduras. O trabalho apontou que cortar total ou parcialmente a gordura do cardápio não traz mais benefícios que as dietas que cortam outras substâncias da dieta, por exemplo, carboidratos ou proteínas. Os pesquisadores afirmaram que dietas concentradas no consumo específico de certa quantidade, seja de gorduras, carboidratos ou proteínas, não acarreta resultados positivos a longo prazo.

Os pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, avaliaram 53 estudos sobre esse tema. Eles comparam as dietas com baixa ingestão de gorduras com outras em que o consumo era liberado. Foram analisados programas que apenas indicavam o que comer até outros que além da dieta, incluíam visitas a terapeutas e aulas de culinária. A conclusão foi a de que não ha diferença entre os resultados apresentados por cada dieta, no período de um ano. Na verdade, os resultados só mostraram que reduzir a ingestão de gordura só é mais benéfico do que não fazer dieta para emagrecer ou perder medidas.

1

De acordo com a coordenadora da pesquisa Deirdre Tobias, ainda é preciso estudar abordagens mais eficientes para tratar o problema da obesidade e que o grande desafio não é apenas perder peso, mas manter a nova medida durante um longo período de tempo. A verdade é que é preciso ir além do tamanho ou quantidade de cada elemento que compõe a dieta. A pesquisadora entende que é preciso discutir formas de alimentação saudável.

Para alguns pesquisadores e profissionais da área, a obesidade deve ser tratada como uma doença crônica e, por isso, além de dieta e atividades físicas, o paciente deve ser também medicado. Nesse caso, o tratamento da obesidade deve ser conduzido com a mesma seriedade que se trata doenças como hipertensão e diabetes. Mas, há também a linha que não defende a necessidade de medicamentos, porém aconselha que as pessoas procurem ajuda junto a grupos comunitários que lidam com o tema.

Segundo o Mistério da Saúde, no Brasil 48,5% da população estava acima do peso em 2011. Os homens eram os campões do sobrepeso. A pesquisa mostrou que 52,6% estavam com os quilinhos a mais, atingindo, principalmente, aqueles que estão na faixa de idade entre 34 e 65 anos. [BBC]

Artigo Completo: The Lancet

Swinburn, BA, Sacks, G, Hall, KD et al. The global obesity pandemic: shaped by global drivers and local environments. Lancet. 2011; 378: 804–814

Tobias, DK, Chen, M, Manson, JE, Ludwig, DS, Willett, W, and Hu, FB. Effect of low-fat diet interventions versus other diet interventions on long-term weight change in adults: a systematic review and meta-analysis. Lancet Diabetes Endocrinol. 2015; (published online Oct 30.)http://dx.doi.org/10.1016/S2213-8587(15)00367-8.
Franz, MJ, VanWormer, JJ, Crain, AL et al. Weight-loss outcomes: a systematic review and meta-analysis of weight-loss clinical trials with a minimum 1-year follow-up. J Am Diet Assoc. 2007; 107: 1755–1767

Hall, KD. Predicting metabolic adaptation, body weight change, and energy intake in humans. Am J Physiol Endocrinol Metab. 2010; 298: E449–E466

Hall, KD, Sacks, G, Chandramohan, D et al. Quantification of the effect of energy imbalance on bodyweight. Lancet. 2011; 378: 826–837

Sanghvi, A, Redman, LA, Martin, CK, Ravussin, E, and Hall, KD. Validation of an inexpensive and accurate mathematical method to measure long-term changes in free-living energy intake. Am J Clin Nutr. 2015; 102: 353–358

Das, SK, Gilhooly, CH, Golden, JK et al. Long-term effects of 2 energy-restricted diets differing in glycemic load on dietary adherence, body composition, and metabolism in CALERIE: a 1-y randomized controlled trial. Am J Clin Nutr. 2007; 85: 1023–1030

Schoeller, DA. How accurate is self-reported dietary energy intake?. Nutr Rev. 1990; 48: 373–379

Winkler, JT. The fundamental flaw in obesity research. Obes Rev. 2005; 6: 199–202

MacLean, PS, Wing, RR, Davidson, T et al. NIH working group report: innovative research to improve maintenance of weight loss. Obesity (Silver Spring). 2015; 23: 7–15

Comentários
Carregando...