Este pássaro do tamanho do seu dedo viveu ao lado dos dinossauros há 127 milhões de anos

4

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Ao pensar na era dos dinossauros, você provavelmente pensa em bestas enormes que correm furiosamente pela paisagem.

Mas muitas criaturas menores também existiam – como este recém-descoberto pássaro pré-histórico, menor do que o seu dedo.

Quando estava vivo, cerca de 127 milhões de anos atrás, o pássaro teria menos de cinco centímetros de altura, pesando 8,5 gramas. Pense no tamanho de uma barata e você está na linha certa.

O filhote vem de um grupo de aves pré-históricas chamadas Enantiornithes, e os cientistas por trás da nova análise pensam que podem nos ensinar mais sobre os primeiros dias da evolução das aves – incluindo como os primeiros pássaros viveram ao lado de dinossauros.

“A diversificação evolutiva das aves resultou em uma ampla gama de estratégias de desenvolvimento e diferenças importantes em suas taxas de crescimento”, disse um dos pesquisadores, Fabien Knoll, da Universidade de Manchester, no Reino Unido. “Analisando o desenvolvimento ósseo, podemos observar toda uma série de traços evolutivos”.

O que torna a descoberta particularmente especial é que os paleontologistas recuperaram quase todo o esqueleto do fóssil, e que o pássaro morreu logo após chocar, nos dando uma visão da estrutura óssea ainda em desenvolvimento do pequeno bicho.

Sendo este um dos menores fósseis de aves já recuperados da Era Mesozóica (250-65 milhões de anos atrás), os pesquisadores usaram uma técnica especial para mapear a estrutura óssea em detalhes precisos.

Eles usaram feixes de raios X para efetivamente ver as rochas internas sem precisar abri-las primeiro. Com o software certo, essas digitalizações podem ser transformadas em modelos 3D.

Uma das principais descobertas da pesquisa foi que o esterno da ave (osso peitoral) ainda não havia se desenvolvido em cartilagem óssea sólida, por isso ainda não teria sido capaz de voar.

Se isso significa que o pássaro teria ficado excessivamente dependente de seus pais durante grande parte de sua vida inicial é difícil de determinar, dizem os pesquisadores. O estudo fóssil revelou que esse grupo particular de aves pode ter se desenvolvido de maneiras mais diversas do que se pensava anteriormente.

O pássaro também era praticamente sem penas, sugerem os exames, embora os pesquisadores digam que não é fácil ter certeza.

Em última análise, a questão permanece sobre se esses tipos de aves teriam sido confinados ao seu ninho ou capazes de passear independentemente enquanto cresciam. Todas as descobertas como essa, no entanto, preenchem um pouco mais da imagem.

Com fósseis como este tão raros, olhar tão longe no passado não é fácil, mas técnicas modernas como as utilizadas estão ajudando.

“Novas tecnologias estão oferecendo aos paleontólogos capacidades sem precedentes para investigar fósseis”, diz Knoll.

As ligações entre os dinossauros e as aves da época são de enorme interesse para os pesquisadores, em parte porque a menor dessas aves foi capaz de sobreviver ao infame esmagamento de meteoros e ajudar a repovoar o mundo em uma era pós dinossauros.

É por isso que as aves de hoje nos dão um elo evolucionário para as eras pré-históricas – e esse pequeno pássaro pré-histórico poderia ser uma parte importante disso.

“É incrível perceber quantas das características que vemos entre as aves vivas já haviam sido desenvolvidas há mais de 100 milhões de anos”, diz um dos integrantes da equipe, Luis Chiappe, do Museu de História Natural de Los Angeles.

A pesquisa foi publicada na Nature Communications.

Traduzido e adaptado de Science Alert.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...