Artigos científicos, notícias e muito mais.

Estes são os 10 países mais inteligentes do mundo quando o assunto é ciência

Se queremos resolver os maiores problemas do nosso tempo – desde as mudanças climáticas, segurança alimentar e a não-proliferação nuclear – nós iremos precisar de mais cientistas. Para isso, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico ( OCDE ) rastreia novos diplomas universitários em 40 dos países mais avançados do mundo. Agora, o grupo lançou o seu relatório de 2015 sobre o placar na Ciência, Indústria e Tecnologia, que inclui dados até 2012.

O ranking é baseado na porcentagem de formados e trabalhadores em ciência, tecnologia, engenharia ou matemática ( STEM ), os graus são concedidos per capita de modo que é uma comparação justa entre os países com populações diferentes. Por exemplo, a Espanha em 11 º lugar, obtém essa posição mediante a concessão de 24% de seus graus nas ciências naturais ou engenharia.

Veja como 10 dos países mais inteligentes do mundo se comportam quando se trata de cursos científicos:

10. Portugal – o país teve 25% de seus estudantes no grau STEM. Eles tem a maior percentagem de doutorados – 72% – no trabalho da educação, o maior de todos os 40 países pesquisados. [Fonte]

10-portugal-had-25-of-its-students-graduate-with-a-stem-degree-it-has-the-highest-percentage-of-doctorate-holders--72--that-work-in-education-of-all-40-countries-surveyed

9. Áustria (25%) – tem o segundo maior número de doutores em idade para trabalhar, com 6,7 pessoas do sexo feminino e 9,1 doutorados do sexo masculino para cada 1.000 habitantes. [Fonte]

9-austria-25-has-the-second-highest-number-of-working-age-phds-with-67-female-and-91-male-doctorate-holders-per-1000-people

8. México subiu de 24% em 2002 para 25% em 2012, apesar do governo lutar contra os incentivos fiscais para as empresas de investimentos em pesquisa e desenvolvimento. [Fonte]

8-mexico-moved-up-from-24-in-2002-to-25-in-2012-despite-the-government-abolishing-tax-breaks-for-businesses-investments-in-research-and-development

7. Estônia (26%) tem uma das porcentagens mais elevadas de alunos STEM do sexo feminino, com 41% em 2012. [Fonte]

7-estonia-26-has-one-of-the-highest-percentages-of-female-stem-graduates-at-41-in-2012

6. A Grécia gastou apenas 0,08% do seu PIB em investimentos na área científica, em 2013, isso foi um dos mais baixos relatados entre os países desenvolvidos. Isso também explica por que a sua taxa de grau STEM caiu de 28% em 2002 para 26% em 2012. [Fonte]

grecia

5. Na França (27%), a maioria dos pesquisadores são empregados pela indústria e não no governo ou nas universidades. [Fonte]

5-in-france-27-most-researchers-are-employed-by-industry-rather-than-the-government-or-universities

4. Finlândia (28%) é o país que mais publica pesquisas sobre a medicina do que em qualquer outro campo. [Fonte]

4-finland-28-publishes-more-research-about-medicine-than-in-any-other-field

3. A Suécia (28%) está apenas atrás da Noruega no quesito em que a maioria das pessoas usam computadores no trabalho, inclusive para aplicações com a programação. Mais de três quartos dos trabalhadores utilizam computadores em seus trabalhos. [Fonte]

3-sweden-28-is-just-behind-norway-for-most-computer-use-at-work-including-for-applications-like-programming-over-three-quarters-of-workers-use-computers-at-their-jobs
Universidade de Estocolmo

2. A Alemanha (31%) tem a terceira maior média bruta, em números, de graduados anualmente no STEM (cerca de 10.000, logo atrás os EUA e a China) apesar dessas duas populações serem muito maiores. [Fonte]

2-germany-31-had-the-third-highest-average-annual-raw-number-of-stem-graduates-at-about-10000-right-behind-the-us-and-china--despite-those-countries-much-larger-populations

1. Coreia do Sul (32%) teve a maior queda, pois o país tinha de 39% em 2002, apesar disso, o país manteve a sua posição no topo da lista da OCDE. [Fonte]

1-south-korea-32-had-the-top-10s-largest-drop-from-39-in-2002-even-though-the-country-retained-its-position-at-the-top-of-the-oecds-list

No geral, maioria dos 40 países com o nível mais alto em ciência caíram de 23% graus do STEM em 2002 para 22% uma década depois. O Brasil, manteve-se em apenas 11% e ocupa a última posição desse gráfico

grafico

Comentários
Carregando...