Estrela está em rota de colisão com nosso sistema solar

303

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Há 90% de chance de uma estrela se aproximar da Terra nos próximos 500 mil anos. Trata-se da Hipparcos 85605, uma estrela anã que atualmente se encontra a 16 anos-luz de distância da Terra, e que pode se aproximar, chegando a até 0,13 anos-luz do nosso planeta.

Para procurar e investigar encontros envolvendo estrelas desse tipo, Coryn Bailer-Jones, do Instituto Max Planck de Astronomia, modelou os movimentos passados e futuros de 50 mil estrelas utilizando dados do satélite Hipparcos, da Agência Espacial Europeia, que escaneou os céus nos anos 1990. Ele encontrou 14 estrelas que provavelmente passarão a 3,26 anos-luz de nós, e quatro estrelas que passarão a 1,6 anos-luz do sol.

Desses, o encontro mais próximo parece ser o que envolverá o HIP 85605, que parece ser uma anã laranja, ou um anã vermelha, pertencente à constelação Hercules. Essa estrela possui uma probabilidade de 90% de se aproximar de 0,13 a 0,65 anos-luz da Terra, dentro de 240 a 470 mil anos a partir de agora. A segunda estrela a passar mais próxima de nós poderá ser a Gliese 710, uma anã k7 que está atualmente a 63 anos-luz de nós nesse momento, na constelação Ophiuchus. Essa estrela tem uma probabilidade de 90% de se aproximar entre 0,32 a 1,44 anos-luz de nós, dentro de 1,3 milhões de anos.

Ainda que a HIP 85605 e a GL 710 não ofereçam nenhum risco de colisão direta, a força gravitacional dessas estrelas poderia atrair cometas na direção da Terra. Por isso, estar preparado para a aproximação dessas estrelas significa ter também maior possibilidade de proteger a Terra dos cometas.

De acordo com Bailer-Jones, essas estrelas também provavelmente trarão “na bagagem” seus exoplanetas, mas é possível que eles não se aproximem tanto assim da Terra para que possamos visitá-los. Ele também alerta que as estrelas simuladas possuem dados “questionáveis”, o que faz com que essas estimativas possam estar um pouco equivocadas.

O trabalho aparece na Astronomy & Astrophysics.

Originalmente por IFLS

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...