Fotógrafo perde bizarra batalha judicial contra macaco que se fotografou com sua câmera

O fotógrafo que foi “processado por um macaco” em uma bizarra batalha judicial revelou que os custos associados ao caso o deixaram falido.

David Slater diz que não tem mais motivação para tirar fotos depois de lutar por direitos autorais sobre um selfie que um macaco tirou com sua câmera na Indonésia em 2011.

O fotógrafo de Chepstow, no sul do País de Gales, diz que não recebeu dinheiro algum com a causa ou para pagar os custos que ele teve contratando advogados. Hoje ele sequer pode voar para a América e participar de uma audiência judicial.

“Eu não estou motivado para sair e tirar fotos. Eu tive custos de milhares de libras para advogados, está me fazendo perder renda e me deixando deprimido. Quando eu penso em toda a situação, eu realmente não acho que vale a pena. Tudo o que fiz para destacar a situação dos macacos destruiu minha vida pessoal. Tive minha vida arruinada”, afirma Slater ao Telegraph.

A imagem que causou a controvérsia.

Ocorreu este mês no tribunal que a People for Ethical Treatment of Animals (PETA) identificou o macaco errado que levou o selfie que provocou a batalha legal. Naruto, um macaco indonésio de seis anos de idade, pode não ter sido o primata que tirou a foto que está no centro da disputa no tribunal federal dos EUA.

Os advogados de David Slater disseram que era a ideia da PETA afirmar que o macaco tinha direito a direitos autorais é absurda – porque ele é um macaco.

David disse que queria mudar de profissão e estava pensando em se tornar um treinador de tênis porque não conseguia pagar seus impostos sobre o rendimento. Ele foi processado nos EUA pela PETA, que afirma que os direitos autorais da imagem pertence a Naruto, e o macaco que deve obter lucros com suas vendas.

A última audiência foi para decidir se Naruto tem a legitimidade para processar. Mas as coisas rapidamente se tornaram bizarras e absurdas.

Angela Dunning, advogada de Slater, disse ao tribunal que a PETA “nem sequer tinha certeza de que eles tinham o macaco certo”, referindo-se a Naruto. “É absurdo dizer que um macaco pode processar por violação de direitos autorais. Naruto não pode se beneficiar financeiramente de seu trabalho. Ele é um macaco”. Andrew Dhuey, que também representa o fotógrafo, disse que a PETA deve pagar todos os custos legais.

Traduzido e adaptado de Mirror.

Você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...