Incrível: O menor acelerador de partículas do mundo tem 1,5 cm

108

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Os maiores aceleradores de partículas conhecidos são caríssimos para se construir e operar (LHC, DESY e o antigo Fermilab), entretanto, já fizeram muito pela ciência. Tais recursos são (na maioria das vezes) inviáveis o que tem feito os pesquisadores buscarem versões menores, mais baratas e mais flexíveis em termos de utilização. Esse esforço tem dado resultados muito promissores, por exemplo, com um mini-LHC de 9 cm de comprimento e um acelerador de elétrons menor do que um grão de arroz. Agora, físicos alemães apresentaram uma nova tecnologia que usa a radiação terahertz para acelerar as partículas, obtendo um acelerador de 1,5 centímetro de comprimento e um milímetro de espessura.

Acelerador linear terahertz

1

Os aceleradores de partículas atuais usam radiação eletromagnética na faixa de radiofrequências, por volta de 500 megahertz ou até mais. A radiação terahertz, por sua vez, tem comprimentos de onda tipicamente mil vezes menores, usando mil vezes menos energia.

“A vantagem é que tudo o mais pode ser mil vezes menor também,” explica o professor Franz Kartner, da Universidade de Hamburgo. Apesar de não ser muito poderoso e ser muito mais simples e mais barato para construir, eles ajudam os cientistas a entenderem como certos processos químicos ocorrem, facilitando na inovação tecnológica, incluindo ajudando nas pesquisas de radioterapia para tratamentos e lasers compactos de raios-X. 

Bibliografia

http://www.desy.de/news/news_search/index_eng.html?openDirectAnchor=883

“Aceleração linear de elétrons-driven Terahertz”; Emilio A. Nanni, Wenqian R. Huang, Kyung-Han Hong, Koustuban Ravi, Arya Fallahi, Gustavo Moriena, RJ Dwayne Miller & Franz X. Kärtner; Nature Communications, 2015; DOI: 10.1038 / NCOMMS9486

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...