Modificar bactéria intestinal de vacas poderia produzir mais carne e reduzir a poluição

36

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Os seres humanos não são únicos com os micróbios do intestino frequentemente elogiados; diferentes espécies hospedam uma variedade estonteante de organismos microscópicos que são parte integrante da digestão. Em vacas, as bactérias do intestino são fundamentais para sua capacidade de processar uma dieta rica em fibras – no entanto, essas mesmas bactérias também produzem metano, um potente gás de efeito estufa. No entanto, os cientistas agora acham que é possível alterar os microbiomas das vacas para que os animais produzam mais carne e talvez menos metano.

Ajustar os microbiomas das vacas para produzir mais carne com menos comida poderia tornar a indústria de carne mais eficiente e lucrativa. Dado que o metano tem aproximadamente 25 vezes a capacidade de retenção de dióxido de carbono, reduzir a produção de metano das vacas também pode ter um impacto sério no meio ambiente.

Não é tão simples, entretanto, alterar o microbioma de um animal. Como descobrimos ao tentar alterar nossas próprias bactérias intestinais, para fazer mudanças específicas, é preciso primeiro entender quais micróbios já existem no intestino, como estão interagindo e quais os papéis que desempenham. Este é um processo extremamente difícil, especialmente considerando que os microbiomas variam entre os indivíduos.

Para enfrentar esses desafios, Mick Watson, cientista animal da Universidade de Edimburgo, e sua equipe estudaram as bactérias intestinais de 43 vacas escocesas por meio de amostras de alimentos digeridos. A equipe então sequenciou os genomas dos organismos que encontrou, descobrindo os papéis importantes que cada espécie bacteriana desempenha. Sua pesquisa encontrou os micróbios que produzem metano; no entanto, através do sequenciamento de DNA, eles também descobriram uma série de novas enzimas digestivas.

Os pesquisadores publicaram suas descobertas na revista Nature Communications.

Watson e sua equipe esperam um dia usar seu melhor entendimento do microbioma intestinal das vacas para introduzir “a bactéria certa, para a dieta certa, para o animal certo”.

Traduzido e adaptado de Futurism.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...