f

Nova técnica possibilitará a gestação masculina e sem ajuda de mulheres

Os cientistas dizem que as primeiras experiências sugerem que um dia pode ser possível fazer bebês sem o uso de óvulos. Eles conseguiram criar bebês ratos saudáveis enganando o esperma, os fazendo “acreditar” que eles iriam fertilizar óvulos normais. Os achados publicados na Nature Communications, podem, em um futuro distante, significar que as mulheres não serão mais necessárias para uma gestação, dizem os pesquisadores. Por enquanto, o trabalho ajuda a explicar alguns dos detalhes de fertilização.

Os cientistas da Universidade de Bath começaram com um óvulo não fertilizado em seus experimentos. Eles usaram produtos químicos para enganar os óvulos para se tornarem um pseudo-embrião. Estes embriões “falsos” têm muito em comum com células comuns, tais como as células da pele, na forma como elas se dividem e controlam o seu DNA.

Os pesquisadores argumentaram que, injetamos esperma em pseudo-embriões de ratos para então produzirmos bebês saudáveis, isso significa que pode ser possível um dia conseguirmos um resultado semelhante em seres humanos utilizando células que não sejam de óvulos.

nature

Nas experiências com ratos, as chances de conseguir uma gravidez bem sucedida eram de 1 em cada 4. Dr. Tony Perry, um dos pesquisadores, disse à BBC: “Esta é a primeira vez que alguém foi capaz de mostrar que qualquer coisa diferente de um óvulo pode combinar com um esperma desta forma para dar origem a descendentes.

“A descoberta derruba quase 200 anos de dogmas.”

Esses bebês ratos eram saudáveis, tinham uma expectativa de vida normal e tiveram filhotes saudáveis. Para o Dr. Perry, “Uma possibilidade, no futuro distante, é que pode ser possível que as células normais do corpo possam ser combinadas com um esperma de modo que um embrião seja formado.” Em outras palavras, dois homens poderiam ter um filho, com um doando uma célula normal e o outro, o esperma. Ou um homem pode ter seu próprio filho usando suas próprias células e espermatozóides – com a criança seria mais como um gêmeo não-idêntico do que um clone. O Dr. Perry ressaltou que tais cenários ainda são “especulativos e fantasiosos”. A descoberta também pode contribuir para tornar férteis os homens inférteis. [BBC]

Referência:

Suzuki, T. et al. Ratos produzidos pela reprogramação mitótica de esperma injectado no partenogénese haplóides. Nat. Commun. 7: 12676 doi: 10.1038 / ncomms12676 (2016).

Você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...