Nuvens de gás: a “caça aos buracos negros”

13

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Os astrônomos estimam que o centro de nossa galáxia estejam cheios de buracos negros. Detectar esses objetos altamente compactos é um desafio, porém é mais uma oportunidade para poder chegar ao final do intenso “verão” na forma de uma grande nuvem de gás que passa pelo centro galáctico. Se esta nuvem encontrar um buraco negro em seu caminho, o buraco vai devorar alguns dos materiais, liberando raios X no processo.

Os buracos negros e estrelas de nêutrons podem se formar quando uma estrela maciça fica sem combustível nuclear e colapsa sobre si mesmo. Ao longo do tempo, alguns destes objetos migram em direção ao centro das galáxias. Alguns estudos anteriores previram que cerca de 20.000 buracos negros e um número similar de estrelas de nêutrons, podem estar escondido a alguns anos-luz do centro galáctico.

Como encontrar?

Uma maneira de identificar esses objetos é pela intensidade da luz oriunda do “combustível” que se acende, uma vez que acresce à superfície do fenômeno. Os pesquisadores calculam que essa nuvem, que é cerca de três vezes maior do que a órbita de Plutão pode encontrar cerca de dez buracos negros ao longo de seu caminho. Contudo, o sinal de raios-X a partir destes acontecimentos é provavelmente detectável apenas em alguns casos especiais. Notavelmente, os atuais instrumentos poderiam observar colisões G2 com os buracos negros de massa intermediária, que são uma classe de objetos não confirmada, mil vezes mais massiva do que os buracos negros normais.

Neste Vídeo de Simulação oferecido pela ESO, temos um exemplo do que provavelmente esperamos acontecer de acordo com a nossa concepção natural.


Referência:

Imre Bartos, et al. Physics – Spotlighting Exceptional Research. Synopsis: Black-Hole Hunting with a Gas Cloud.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...