O ato de fumar talvez “apague” cromossomos Y do sangue de homens

Créditos: BIOPHOTO ASSOCIATES/SCIENCE SOURCE

Se câncer, doenças cardíacas e enfisema não são ruins o suficiente, fumantes homens terão de se preocupar com outro problema: perder seus cromossomos Y. Pesquisadores encontraram que fumantes têm uma tendência quatro vezes maior de não ter esses cromossomos no sangue do que os não-fumantes. Isso é preocupante, já que um estudo recente descobriu uma associação entre a perda do cromossomo Y e uma vida mais curta, assim como um maior risco de câncer.

Entretanto, não há provas diretas de que a perda cause doenças, alerta Stephen Chanok, um geneticista do câncer no Instituto Nacional do Câncer em Bethesda, Maryland, que não está envolvido com o trabalho.

Para conduzir o estudo, o oncologista molecular Jan Dumanski e o estatístico Lars Frosberg, da Universidade de Uppsala, na Suécia, analisaram dados coletados de três testes. Os estudos de longo-prazo estão procurando por associações entre o comportamento, o estilo de vida ou outros fatores e doença. Como parte dos estudos, dados e sangue são coletados periodicamente. Dumanski e Forsberg compararam o DNA de células sanguíneas de fumantes com as de não-fumantes em mais de 6.000 homens. O único fator correlacionado e significante foi uma perda de cromossomos Y nos fumantes, com uma probabilidade de 2,4-4,3 vezes maior disso acontecer neles do que em não-fumantes, assim como relatado na revista Science.

Créditos: BIOPHOTO ASSOCIATES/SCIENCE SOURCE
Créditos: BIOPHOTO ASSOCIATES/SCIENCE SOURCE

“É uma observação fascinante”, diz Charles Swanon, cabeça do instituto de terapia translacional de câncer no Instituto de Pesquisa de Londres. Os achados, ele diz, talvez expliquem o porquê de homens terem um maior risco de morte na maioria dos cânceres que, diferentemente dos de próstata e mama, não são específicos para o sexo. Mas o número de células com cromossomos anormais aumentam com a idade de qualquer for,a ele nota, então a perda do Y talvez não contribua diretamente ao câncer.”É muito importante conhecer o mecanismo”.

Chanock concorda. “Enquanto os achados sejam intrigantes”, ele diz, “as associações entre a perda de cromossomos Y com vida curta e risco de doenças precisa ser confirmada em outros estudos de longo-prazo”

Mas isso não impediu que o time de pesquisadores criasse uma iniciativa com o objetivo de desenvolver um teste de diagnóstico que poderia inferir o risco de determinado homem ter câncer baseado em sua perda de cromossomos Y nas células sanguíneas.

Dumanski e seus colegas estão também planejando estudos de acompanhamento para entender melhor como a deficiência do Y pode causar morte. Os pesquisadores formulam a hipótese de que a perda do cromossomo talvez seja desviada para uma população de células sanguíneas específicas responsáveis e controlar o câncer. Desabilitadas de sua função, as células afetadas permitem que a doença tome posse.

Enquanto isso, ainda há algumas notícias tranquilizadoras, Forsberg diz. O dano de cromossomos Y causado pelo ato de fumar parece ser reversível.

[divider]Traduzido e adaptado de: http://news.sciencemag.org/biology/2014/12/smoking-erases-y-chromosomes

Você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...