O homem NÃO levou os mamutes a extinção

42

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Os últimos mamutes no mundo, que habitavam as ilhas do Alasca, não foram extintos pela influência do homem, mas pelos efeitos da subida do nível do mar e climas mais secos que acabaram com fontes de água doce, de acordo com um artigo na revista PNAS.

Nosso estudo revela uma situação terrível em que viveram estes mamutes. O que aconteceu com a água nestas ilhas claramente indica que eles estavam em um beco sem saída e extinguiram-se. Isso mostra que a falta de água é raramente vista como a possível causa de extinção, e subestimam a vulnerabilidade da fauna de pequenas ilhas pela mudança climática, mesmo na ausência do homem”, disse Matthew Wooller da Universidade de Alaska Fairbanks.

De acordo com o estudo, a extinção dos mamutes ocorreu há cerca de 5.600 anos, quando os poucos lagos secaram devido à mudança climática, embora os animais aceleraram a destruição de fontes de água doce, cavando o solo das margens dos reservatórios. Como resultado, os lagos rapidamente se tornaram enormes pântanos e a grande vegetação que protegia a evaporação da água desapareceu, isto consequentemente levou à extinção dos últimos mamutes que restavam no mundo.

Os autores do estudo concluíram que devido ao aquecimento global os mamíferos pré-históricos estavam sofrendo os mesmos problemas ambientais que acontecem hoje. Segundo os cientistas, o aumento do nível do mar pode ter consequências catastróficas para pequenas ilhas, como aconteceu há mais de 5.600 anos, quando a água doce secou nos territórios onde os últimos mamutes viveram. [PNAS]

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...