O novo dia em Saturno

22

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Um novo cálculo do período de rotação de Saturno corta seu dia em alguns minutos. Um único dia no sexto planeta a partir do Sol dura em torno de 10 horas, 32 minutos e 45 segundos (mais ou menos 46 segundos). Os resultados foram publicados na revista Nature desta semana.

A rotação do planeta saturno em torno do seu eixo tem sido notoriamente difícil de determinar. Para planetas rochosos como a Terra e Marte, medir a rotação é bastante simples: Basta encontrar uma característica de sua superfície e esperar até que ela fique à vista novamente. Porém, os gigantes gasosos cobertos com espessas camadas de nuvens como Saturno e Júpiter não têm objetos sólidos em sua superfície para esse tipo de observação.

Para torná-lo ainda mais difícil, o pólo magnético de Saturno está alinhado com seu eixo de rotação. Isso significa que o período de rotação não pode ser calculado usando o campo magnético, ao contrário do planeta Júpiter, que tem um campo magnético inclinada.

Durante décadas, nós pensávamos que a rotação de saturno durava 10 horas, 39 minutos e 22 segundos, com base nas emissões de radiofrequência estimados pela sonda Voyager 2 em 1980. Entretanto, quando a Cassini (foto abaixo) chegou 30 anos depois a fim de repetir essas medições via rádio, o período de rotação parecia ser de 8 minutos a menos.

Cassini_at_Saturn

Agora, um trio liderado por Ravit Helled da Universidade de Tel Aviv irão tentar uma nova medição. “Nós viemos com uma resposta em base na forma e no campo gravitacional do planeta”, diz Helled em um comunicado . “Nós fomos capazes de olhar para o quadro geral, e aproveitar as propriedades físicas do planeta para determinar seu período de rotação.”

Quando um planeta gira, a sua forma distorce: se torna um pouco achatada, ganhando uma espécie de “barriga” no seu meio, relata  o co-autor Yohai Kaspi, do Instituto de Ciência Weizmann, explicando em um comunicado à imprensa . Quanto mais rápido o planeta gira, mais forte será esta “barriga” entre o planeta. Isto acontece por conta do planeta ser composto principalmente de  fluidos densos como hidrogênio e hélio, o fazendo  deformar mais facilmente .

Esta redistribuição de massa do planeta cria flutuações, podendo assim ser medido utilizando dados da sonda Cassini.

Para confirmar estes resultados, a equipe usou o mesmo método para calcular  com precisão a rotação de Júpiter, que já é conhecido por ser de 9 horas e 55 minutos .

Fonte: Nature

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...