Primeiro britânico tinha pele escura e olhos azuis, indica análise de DNA

1

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

O primeiro britânico moderno tinha a pele escura e os olhos azuis, afirmaram cientistas londrinos após a inovadora análise de DNA dos restos de um homem que viveu 10 mil anos atrás.

Conhecido como “Homem de Cheddar” em referência à área no sudoeste da Inglaterra, onde seu esqueleto foi descoberto em uma caverna em 1903, o homem passou pela primeira análise completa de DNA de seus restos.

Em um projeto conjunto entre o Museu de História Natural da Grã-Bretanha e a University College London, cientistas fizeram um furo de 2mm no crânio e extraíram o pó do osso para análise.

Suas descobertas transformaram a maneira como eles viam o Homem de Cheddar, que tinha sido retratado como tendo olhos castanhos e pele clara em um modelo anterior.

“É muito surpreendente que um britânico 10 mil anos atrás poderia ter essa combinação de olhos muito azuis e pele muito escura”, disse Chris Stringer, que durante a última década analisou os ossos das pessoas encontradas na caverna.

Os achados sugerem que a pigmentação mais clara, característica das populações do norte da Europa, é mais recente do que se pensava anteriormente. A tribo do Homem de Cheddar migrou para a Grã-Bretanha no final da última era do gelo e seu DNA foi ligado a indivíduos descobertos onde hoje é a Espanha, Hungria e Luxemburgo.

Selina Brace, pesquisadora de DNA antigo no museu, disse que o ambiente da caverna em que o Homem de Cheddar foi encontrado ajudou a preservar seus restos. “Na caverna você tem um ambiente muito agradável, seco e constante, e isso basicamente impede que o DNA se desintegre”, disse ela.

Traduzido e adaptado de Phys.

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...