Saiba por que as viagens ao espaço podem ser extremamente nojentas

Image converted using ifftoany
12

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Por Ross Pomeroy | Real Clear Science, em LiveScience.
Traduzido e adaptado por Leonardo Ambrosio.

Não é nada fácil ser um astronauta da NASA. Para começo de conversa, é necessário um bacharelado na área; um corpo em forma; e ter entre 1,50 e 1,93m de altura. Isso pode não ser tão desestimulante assim, mas o que a NASA não menciona são os fatores intangíveis. Entre eles, está a capacidade, por exemplo, de se manter calmo durante a pressão, mentalidade de resolução de problemas e a capacidade para trabalhar em equipe. Mas uma coisa que você certamente não pode esquecer… é ter um estômago forte. As histórias a seguir dizem bem o motivo.

No espaço, como você provavelmente já sabe, a gravidade é bastante reduzida, e isso pode ocasionar uma série de situações inesperadas e repugnantes. Se você acha difícil e nojento limpar a sujeira do seu animal de estimação, por exemplo, experimente coletar vômito flutuante ou pele seca pelo ar.

“Eventualmente, os calos dos seus pés vão caindo”, disse o astronauta Scott Kelly, recentemente, no Reddit. “Então, a sola dos seus pés se torna tão suave como as de bebês recém-nascidos. Entretanto, o topo deles ficam tão grossos como a pele dos jacarés, já que você usa trilhos para os pés para se locomover nas estações espaciais”, concluiu.

Calos flutuantes – que podem entrar em bocas desavisadas – podem ser bastante incômodos e nojentos, mas não são a maior ameaça. Veja o que aconteceu durante o STS-1, por exemplo:

Em abril de 1981, os astronautas John Young e Robert Crippen pilotaram com sucesso o Space Shuttle Columbia em sua primeira missão. Entretanto, apesar do sucesso, não escaparam de alguns probleminhas. O banheiro entupiu logo no começo da viagem, forçando os dois a utilizar sistemas de contenção fecal afixados às nádegas. Esses sistema consistiam em sacos em forma de tubo presos nas nádegas, com o intuito de armazenar e evacuar as fezes. Pior que isso, durante a reentrada da nave na atmosfera, o local onde os dejetos ficavam armazenados à vácuo, no banheiro, se rompeu. Os dejetos foram parar no sistema de ventilação, e você deve imaginar as complicações que isso causou. Mesmo assim, Young e Crippen aguentaram até o fim da missão. As missões de Apollo também contaram com esses sistemas de contenção fecal. Há registros inclusive de conversas entre os tripulantes discutindo sobre de quem seria a autoria de um “amigo mal-cheiroso” que foi encontrado flutuante pela espaçonave.

Climatologia Geográfica Créditos: STS-41B, NASA.

Mas graças aos avanços da tecnologia, exemplificados pelos sanitários futuristas e sistemas de filtragem bem projetados, os dejetos não mais são um problema frequente. Na verdade, o astrobiólogo Kasthuri Venkateswaran disse, em entrevista ao Washington Post, que a Estação Espacial Internacional muitas vezes é mais limpa que o banheiro da maioria das casas. Isso certamente soará como música para os ouvidos daqueles que sonham em ser um astronauta!

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...