f

Segundo experimento da NASA, pode ser possível cultivar batatas em Marte

Por Dave Mosher | Science Alert

Traduzido e adaptado por Matheus Gonçalves

No sucesso cinematográfico de 2015 Perdido em Marte, um botânico fica preso em marte, em uma situação onde só depende de si mesmo para sobreviver. Mark Watney (interpretado por Matt Damon) sobrevive fertilizando o solo marciano com suas fezes, cortando batatas e as plantando no solo. As batatas cresceram e lhe garantiu alimento por centenas de dias.

Cultivar batatas ou outros alimentos em Marte não é apenas uma curiosidade da ficção científica. Agora, um projeto apoiado pela NASA está mostrando que a façanha exibida no cinema talvez possa ser realmente possível.

Para isso, cientistas da NASA e do Centro Internacional de Batatas (CIP), em Lima, no Peru, construíram uma experiência de cultivo de tubérculos que recria as inóspitas condições da superfície marciana.

Tudo acontece dentro de uma caixa de lançamento de foguetes chamada CubeSat. O CubeSat é equipado com mangueiras de água, luzes de LED e instrumentos que emulam as temperaturas, ciclos de luz, gases e pressão existentes em Marte.

Em fevereiro de 2017, os pesquisadores plantaram um tubérculo, selaram a caixa e começaram a filmar para ver o que aconteceria. “Os resultados preliminares são positivos”, afirma o CIP em um comunicado à imprensa. Isso significa que uma planta de batata cresceu em um solo com condições semelhantes a de Marte.

“Se as culturas podem tolerar as condições que estão sendo expostas no CubeSat, elas têm boas chances de crescer em Marte”, afirma Julio Valdivia-Silva, pesquisador da NASA na Universidade de Engenharia e Tecnologia de Lima. “Vamos fazer várias rodadas de experimentos para descobrir quais as variedades de batatas crescem melhor. Queremos saber quais as condições mínimas para que a planta sobreviva”.

O experimento não fornece a prova concreta que um potencial agricultor em Marte precisaria. Por um lado, o solo não era realmente de Marte. Embora fosse árido e inóspito, provavelmente ainda tinha micróbios que podem ter ajudado o crescimento da planta.

O experimento também usou batatas ao invés de sementes. Isso é um problema, porque fazer com que as batatas durem uma viagem de meses ou anos pode exigir aquecimento sob pressão ou radiação. Isso prejudica as células da batata, tornando o cultivo mais difícil.

Bruce Bugbee, botânico e cientista da NASA na Universidade Estadual de Utah, afirma que não há razão para o cultivo de batatas ou outras culturas em solo marciano não funcionem.

O CIP, a NASA e outras instituições agora analisam se outros tipos de batatas também dão certo no CubeSat, incluindo variedades especiais que criaram para resistir a condições adversas.

“Os resultados indicam que nossos esforços para criar variedades com alto potencial para fortalecer a segurança alimentar em áreas de risco ou afetadas por mudanças climáticas estão funcionando”, disse Walter Amoros, criador de batatas do CIP, em um comunicado.

A NASA divulgou um vídeo mostrando a experiência:

Você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...