Tesouros milenares são encontrados em caverna de Israel

33

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Um grupo de explorados que estava explorando o norte de Israel se deparou com moedas e joias da época de Alexandre, o Grande, que estavam em um esconderijo, anunciou a Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA) hoje (9 de março). De acordo com funcionários da IAA, moradores locais podem ter escondido estes artefatos na caverna há 2300 anos, durante um período de agitação política. Entretanto, arqueólogos encontraram, na mesma caverna, objetos de cerca de 6000 anos de idade.

Climatologia Geográfica
Créditos: Clara Amit – IAA

Se preparando para uma expedição, Reuven Zakai, seu filho Hen Zakai e seu amigo Lior Halony estavam explorando uma caverna de estalactites no norte de Israel durante duas semanas, de acordo com um comunicado da IAA. De acordo com as informações divulgadas para a imprensa, Hen Zakai encontrou duas moedas de prata antigas ao entrar em um canto estreito da caverna. As moedas, dizem os especialistas, foram cunhadas durante o reinado de Alexandre, o Grande. Além disso, foram encontrados aneis de prata, pulseiras e brincos.

“Os objetos de valor podem ter sido escondidos na caverna por moradores que fugiram durante o período de agitação governamental decorrente da morte de Alexandre, em uma altura em que as guerras dos Diádocos eclodiram em Israel entre os herdeiros de Alexandre”, disseram funcionários do IAA em um comunicado. A localização exata da caverna ainda é um segredo, principalmente para proteger os achados arqueológicos.

Após esses primeiros achados, uma equipe realizou uma investigação mais aprofundada da caverna. Nesta, encontraram mais objetos, incluindo cerâmicas, que datam do período Calcolítico, 6000 anos atrás, da Idade do Bronze Inicial, 5000 anos atrás e do período bíblico, cerca de 3000 anos atrás. Em Israel, quem encontra alguma antiguidade e não aciona as autoridades, está violando a Lei de Antiguidades, que afirma que todas os objetos históricos pertencem ao Estado e suas descobertas devem ser informadas às autoridades imediatamente. A Lei ainda diz que os objetos não podem ser removidos de sua localização, vendidos ou negociados. O diretor da Unidade de Prevenção de Roubos a Antiguidades do IAA, Amir Ganor, elogiou os exploradores, que relataram a descoberta imediatamente. “Eles entenderam a importância da descoberta arqueológica e demonstraram comportamento cívico exemplar por imediatamente trazer esses achados arqueológicos para a atenção do IAA”, enalteceu Ganor.

Fonte: LiveScience

Receba atualizações em tempo real diretamente no seu dispositivo, inscreva-se agora.

Comentários
Carregando...