Tigres do Nepal dobram em apenas 3 anos

integtime=87 A=64 D=128flashCrossoverCdS=200.00RESERVED=0AspectRatio=1.0000derivativeClipNormal=6RESERVED=0chargeFlashTarget=290.00delayBetweenImagesFlash=5delayBetweenImagesDaylight= 0.30holdOffTimeBetweenTriggers=0jpegCompressionRatio=12Temperature= 33.00ImageCount=565

Desde transformar seus ossos em vinho até tentar usar seus olhos como cura para doença, 93% dos tigres foram caçados ao longo da história. Atualmente, existem mais tigres vivendo em cativeiro na América do Norte do que em ambientes selvagens na natureza. Porém, entre tantas notícias ruins, também existem boas. Em apenas 3 anos, ambientalistas conseguiram quase dobrar o número de tigres existentes no Nepal.
Estes números surpreendentes foram alcançados através de leis rígidas e ações de conservação e proteção dos habitats, o que mostra que é possível fazer progressos rápidos para salvar os felinos da extinção. As principais reservas em que os tigres vivem, o complexo Chitwan-Parsa, são monitoradas pela Sociedade Zoológica de Londres. Elas possuem cerca de 2000 quilômetros quadrados de habitat ininterrupto, com uma mistura de florestas tropicais e subtropicais, pastagens e sistemas fluviais.
Em 2013, uma pesquisa no Nepal descobriu que haviam cerca de 198 tigres de Bengala, enquanto este ano, os pesquisadores descobriram que este número aumentou em até 90%, um resultado incrível para uma espécie que está enfrentando a extinção. A equipe foi capaz de manter o controle dos animais, assim como das suas presas, usando armadilhas fotográficas a partir das quais eles podiam identificar tigres individualmente utilizando suas listras de uma forma semelhante a impressões digitais: cada padrão é exclusivo para um animal.

content-1469809612-c-dnpwcntncpantherazsl

“A impressionante duplicação dos tigres em Parsa e a velocidade quase sem precedentes de recuperação é a prova de como a aplicação da lei e uma forte liderança governamental pode ajudar a salvar a espécie”, diz o Dr. John Goodrich, diretor do Panthera, uma organização que trabalha na reserva de Parsa. “Em um momento em que os caçadores furtivos estão travando uma guerra contra a vida selvagem, o Nepal serve como um farol de esperança para o tigre.”
O trabalho realizado no Nepal mostra que o desaparecimento do tigre não é uma fatalidade, e que não apenas pode ser revertida, mas de forma rápida. Ao realizar o monitoramento remoto e aplicar a lei, o Nepal está mostrando ao mundo como as coisas devem ser feitas.
Espera-se que o sucesso que temos visto no complexo Chitwan-Parsa seja expandido para outras 3 áreas de conservação do país, ampliando consideravelmente o habitat dos tigres.

[IFFCG]

Você pode gostar também Mais do autor

Comentários

Carregando...