Aldeia de 8.000 anos descoberta com pontas para proteger de ameaças desconhecidas

por Lucas
0 comentário 12 visualizações

A descoberta da mais antiga aldeia lacustre da Europa, localizada no Lago Ohrid, na fronteira entre Albânia e Macedônia do Norte, marcou um significativo achado arqueológico em 2023. Este assentamento antigo, estimado como datando de entre 5900 a 5800 a.C., supera a idade de conhecidos sítios lacustres nas regiões do Mediterrâneo e Alpina. A equipe de pesquisa, liderada pelo Professor Albert Hafner da Universidade de Bern, na Suíça, empregou datação por radiocarbono para determinar a idade da aldeia, estabelecendo-a como a mais antiga da Europa.

A localização única do sítio, submerso no montanhoso Lago Ohrid, exigiu técnicas especializadas de exploração. Arqueólogos da Suíça e da Albânia colaboraram, navegando pela vegetação densa do lado albanês e empregando equipamentos de mergulho e mergulhadores profissionais. Essa abordagem permitiu que explorassem extensivamente os aspectos subaquáticos da aldeia.

Aldeia de 8.000 anos descoberta com pontas para proteger de ameaças desconhecidas

AFP

A estrutura da aldeia revela escolhas arquitetônicas sofisticadas feitas por seus habitantes. As casas foram construídas sobre estacas, um método empregado para contrabalançar os níveis flutuantes de água do lago. Adrian Anastasi, um arqueólogo albanês, enfatizou a complexidade e dificuldade de construir uma aldeia sobre estacas, destacando a importância de entender os motivos por trás dessa escolha arquitetônica.

Mecanismo de defesa

Outro aspecto intrigante do achado é o mecanismo defensivo ao redor da aldeia. Os pesquisadores descobriram milhares de estacas de madeira, aproximadamente 100.000 em número, embutidas no fundo do lago. Essas pontas foram feitas de carvalho, uma decisão que pode ter sido influenciada pela disponibilidade de recursos de madeira devido ao desmatamento necessário para a construção sobre estacas. O propósito dessas estacas permanece um mistério, com pesquisas em andamento visando desvendar a razão por trás desse extenso sistema de defesa.

Aldeia de 8.000 anos descoberta com pontas para proteger de ameaças desconhecidas

Imagem ilustrativa

As estacas de carvalho oferecem não apenas informações históricas, mas também ambientais. O estudo de seus anéis poderia fornecer informações valiosas sobre as mudanças ambientais na área ao longo do tempo. O professor Hafner comparou a precisão dos anéis de carvalho a um relógio suíço, sugerindo seu potencial para servir como um calendário ambiental.

A importância desta aldeia antiga vai além de suas características arquitetônicas e defensivas. O professor Hafner, em sua exploração inicial do sítio em 2021, postulou que a aldeia desempenhou um papel crucial na disseminação da agricultura pela Europa. Esta hipótese é apoiada pelas contínuas descobertas no local, incluindo o extenso namoro e a descoberta das estacas.

O entusiasmo em torno dessas descobertas é generalizado. Figuras notáveis, incluindo o primeiro-ministro da Albânia e o embaixador suíço Ruther Huber, expressaram interesse no local. O embaixador Huber até visitou as escavações para um tour pessoal em julho.

À medida que a escavação continua, com mergulhadores auxiliando arqueólogos na recuperação de pedaços de madeira e ossos de animais do fundo do lago, a equipe permanece esperançosa em descobrir mais sobre o estilo de vida nesta aldeia antiga. Sua pesquisa contínua visa fornecer insights sobre a vida cotidiana, práticas culturais e, talvez, até mesmo o raciocínio por trás da necessidade de um mecanismo de defesa tão extenso em uma aldeia de não mais de 500 residentes.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.