Ilha abandonada está conectada à Nova York por túneis, mas ninguém pode visitar

por Lucas
1 comentário

A Ilha U Thant, também conhecida oficialmente como Ilha Belmont, é uma pequena faixa de terra desabitada localizada no East River, em Nova York. Destaca-se como uma das poucas áreas nos Estados Unidos que permanece completamente intocada pelo desenvolvimento humano. A ilha é envolta em vegetação densa e é notável por uma peculiar estrutura metálica que se projeta dela.

As dimensões da Ilha U Thant são modestas, medindo aproximadamente 30 por 60 metros. Curiosamente, a ilha não existia até o final do século 19. Sua emergência está ligada às atividades de construção de William Steinway, um renomado fabricante de pianos. Em 1890, Steinway iniciou um projeto para construir um túnel para bondes. Este túnel, destinado a ligar sua cidade empresarial, Steinway Village, deveria passar sob o East River.

A ilha não está aberta ao público. Crédito: Wikimedia Commons

A ilha não está aberta ao público. Crédito: Wikimedia Commons

O processo de construção envolveu a escavação de um eixo em um afloramento de granito conhecido como afloramento Man-o’-Reef. Isso era necessário para alcançar os locais dos túneis. No entanto, à medida que a construção progredia, entulho começou a se acumular e eventualmente flutuou até a superfície do recife, levando à formação do que hoje é a Ilha U Thant.

Tragicamente, William Steinway não viveu para ver a conclusão de seu ambicioso projeto. Ele faleceu antes de sua conclusão, e o projeto foi posteriormente assumido por August Belmont Jr. Belmont conseguiu concluir a construção entre 1905 e 1907, marcando o surgimento oficial da ilha.

Notícias da época apresentando a proposta de construção. Crédito: Biblioteca do Congresso/Wikimedia Commons

Notícias da época apresentando a proposta de construção. Crédito: Biblioteca do Congresso/Wikimedia Commons

A construção do túnel não foi sem seus perigos e dificuldades. Uma tragédia significativa ocorreu em 1906 quando um cano de ar comprimido estourou, levando a um acidente em um dos eixos. Este incidente resultou na morte de quatro trabalhadores. Dois dos trabalhadores sucumbiram à asfixia e doença descompressiva, enquanto os outros dois se afogaram. Esforços foram feitos para resgatar o máximo possível de trabalhadores, com o chefe e seu assistente descendo ao túnel. Eles conseguiram resgatar duas pessoas e recuperar os corpos daqueles que morreram de doença descompressiva. Infelizmente, os corpos daqueles que se afogaram permanecem no fundo do túnel até hoje.

Em 1977, ocorreu uma mudança significativa quando um grupo budista alugou o controle da ilha. Eles renomearam a terra em homenagem a U Thant, ex-Secretário-Geral das Nações Unidas. Este grupo inicialmente foi autorizado a entrar na ilha até duas vezes por ano para manter a vegetação. No entanto, medidas de segurança aumentadas na metade dos anos 90 levaram a uma redução significativa nessas visitas.

Hoje, a Ilha U Thant serve a um novo propósito. O acesso à ilha é estritamente proibido ao público, pois agora é um espaço protegido para pássaros migratórios. Tornou-se um santuário onde as aves podem botar seus ovos sem serem perturbadas. Embora a própria ilha seja proibida, ainda é visível das costas de Manhattan e Queens, onde os observadores podem ver pássaros pousados na ilha.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.

1 comentário

João Alves Filho 25/12/2023 - 09:24

Bem interessante, e nos mostra como o ser humano é um “bicho” empreendedor, desde sempre.
Como você, Lucas, gos de curiosidades, vou lhe contar uma que ocorreu, bem pertinho do mesmo lugar, e basicamente na mesma época.
Trata-se da “replica” da primeira sinagoga das Américas.
A história: nos idos de 1643, quando os holandeses tomaram Pernambuco, época do príncipe Maurício de Nassau, junto com eles, os holandeses, vieram 300 famílias de judeus, os quais se estabeleceram baque região.
Os judeus sefarditas, se uniram e construíram à primeira sinagoga das Américas, existe até hoje, na Rua do Bom Jesus, em Recife. Ocorreu que os portugueses conseguiram tomar de volta a província de Pernambuco.
Estas famílias, com medo da Santa Inquisição, fugiram e se perderam no Caribe, vai daqui, vai dali, e foram “esbarrar” onde , hoje, é a Cidade de Moxa York que, à época, tinha, apenas cerca de 15 mil habitantes.
Após se estabelecerem, construíram o que seria a Segunda Sinagoga das Américas, sendo um replica exata da de Recife.
Um abraço, Lucas. Tenha um Magnânimo NATAL e um Supimpa 2024!

Comentar