NASA identifica 17 planetas com possíveis oceanos subterrâneos e eles podem ser adequados para a vida

por Lucas
0 comentário 7 visualizações

Uma análise recente da NASA identificou 17 exoplanetas que podem possuir oceanos subterrâneos, escondidos sob extensas camadas de gelo. Essa descoberta é fundamental na busca contínua por vida extraterrestre, pois a água é um requisito fundamental para a vida como a conhecemos. Esses planetas, semelhantes às luas geladas de Júpiter, são considerados candidatos principais para a presença de bioassinaturas, que são indicadores químicos de vida.

Características e Composição

Os exoplanetas em questão têm aproximadamente o mesmo tamanho da Terra, mas são menos densos. Acredita-se que tenham temperaturas superficiais significativamente mais baixas do que as da Terra, com base em estimativas de estudos anteriores. Esse ambiente mais frio sugere que qualquer água líquida nas superfícies desses planetas provavelmente estaria congelada. No entanto, a possibilidade intrigante levantada por essa pesquisa é que esses planetas possam manter água líquida sob suas exteriores geladas.

NASA identifica 17 planetas com possíveis oceanos subterrâneos e eles podem ser adequados para a vida

Uma ilustração artística de Proxima Centauri b, um dos candidatos a exoplaneta aquoso. (Crédito da imagem: ESO/M. KORNMESSER)

Lynnae Quick, do Centro de Voo Espacial Goddard da NASA, explicou que esses mundos podem ter superfícies cobertas de gelo, mas também recebem aquecimento interno suficiente. Esse aquecimento poderia vir da decomposição de elementos radioativos e das forças de maré exercidas por suas estrelas hospedeiras. O calor interno pode ser suficiente para sustentar oceanos líquidos sob o gelo superficial.

As interações gravitacionais entre esses planetas e suas estrelas podem levar ao estiramento e compressão de suas estruturas rochosas internas. Tais processos são capazes de gerar calor interno significativo, mantendo potencialmente oceanos subterrâneos. Além disso, a decomposição radioativa de elementos pesados nos núcleos desses planetas pode contribuir para esse aquecimento interno.

Potencial para Criovulcanismo e Pesquisas Futuras

Um aspecto intrigante desses planetas é a possibilidade de atividade criovulcânica. O criovulcanismo, ou vulcões de gelo, pode levar a erupções semelhantes a gêiseres nesses planetas. Essa atividade seria uma consequência direta dos processos de aquecimento interno mencionados anteriormente. O estudo traçou paralelos com a atividade de gêiser observada em Europa e Encélado, duas luas de Júpiter.

Dois exoplanetas, Proxima Centauri b e LHS1140 b, são destacados como candidatos particularmente promissores por terem oceanos relativamente próximos de suas superfícies. A taxa de atividade de gêiseres nesses planetas poderia potencialmente exceder a de Europa, tornando-os alvos mais prováveis para observação telescópica e estudo.

Observações futuras desses exoplanetas provavelmente se concentrarão em capturar os espectros de emissão de luz que viajam através de suas atmosferas. Esse método poderia revelar químicos e moléculas que foram ejetados na atmosfera pela atividade criovulcânica. Tais descobertas podem fornecer pistas vitais sobre a possibilidade de vida nas profundezas frias e escuras desses mundos distantes.

Essa pesquisa, publicada no The Astrophysical Journal, abre novos caminhos na busca para entender ambientes extraterrestres e o potencial para vida além da Terra.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.