O Telescópio Espacial James Webb descobriu um monstro cósmico que desafia as suposições do universo primitivo

por Junior
0 comentário 50 visualizações

O Telescópio Espacial James Webb (JWST) revolucionou nosso entendimento do universo primitivo com sua última descoberta – AzTECC71, uma galáxia formadora de estrelas envolta em poeira. Esta galáxia, encoberta por um espesso véu de poeira, está desafiando hipóteses anteriormente aceitas sobre a escassez de tais galáxias no universo primitivo. AzTECC71 é notável por sua prolífica capacidade de formar estrelas, produzindo centenas delas a cada ano. Esta descoberta foi feita por astrônomos da colaboração COSMOS-Web, uma equipe dedicada a mapear até 1 milhão de galáxias em uma seção do céu equivalente ao tamanho de três luas cheias.

AzTECC71 foi inicialmente identificada como um mero ponto de emissão de poeira pelo Telescópio James Clerk Maxwell no Havaí. Esta detecção inicial foi posteriormente confirmada com dados do telescópio ALMA no Chile. Foram as observações do JWST em um comprimento de onda de 4,44 microns que revelaram uma galáxia tênue na mesma localização, sublinhando a capacidade sem precedentes do telescópio de descobrir objetos cósmicos que anteriormente eram invisíveis.

A descoberta de AzTECC71, juntamente com mais de uma dúzia de outras galáxias candidatas, sugere que tais galáxias formadoras de estrelas e envoltas em poeira podem ser de três a dez vezes mais comuns no universo primitivo do que se estimava anteriormente. Isso desafia a suposição anterior de que galáxias como AzTECC71 eram raras. A existência de uma galáxia assim, formando centenas de estrelas anualmente, aponta para uma população potencialmente oculta de galáxias no universo primitivo.

JWST e Seu Impacto na Compreensão da Evolução das Galáxias

O papel do Telescópio Espacial James Webb nesta descoberta sublinha uma mudança significativa em nossa capacidade de observar e compreender o universo. Antes do JWST, galáxias como AzTECC71 eram conhecidas como “galáxias escuras de Hubble” devido à dificuldade de observá-las em luz óptica. Isso se deve principalmente ao fato de a poeira absorver e reemitir luz em comprimentos de onda mais longos, tornando-as elusivas para telescópios não equipados para lidar com tais observações. As capacidades avançadas de infravermelho do JWST abriram uma nova janela para observar essas galáxias poeirentas e formadoras de estrelas.

A sensibilidade do JWST no espectro infravermelho permite que ele penetre nos densos véus de poeira que obscurecem essas galáxias. Esta capacidade possibilita aos cientistas estudar essas galáxias fortemente obscurecidas tanto no espectro óptico quanto no infravermelho. A habilidade do telescópio de fazer observações em ambos os espectros marca um avanço significativo nas capacidades observacionais astronômicas, permitindo uma compreensão mais abrangente da formação e evolução das galáxias.

O projeto COSMOS-Web, co-liderado pela professora associada da UT Caitlin Casey e envolvendo uma equipe de mais de 50 pesquisadores, foi concedido 250 horas de tempo de observação durante o primeiro ano do JWST. O primeiro lote de dados foi recebido em dezembro de 2022, com mais esperado até janeiro de 2024. Este projeto visa estudar as estruturas primitivas do universo, focando na compreensão da natureza das galáxias poeirentas como AzTECC71. As descobertas dessas observações são antecipadas para fornecer insights valiosos sobre a formação e evolução dessas galáxias.

Jed McKinney, pesquisador pós-doutorado na Universidade do Texas em Austin, descreveu AzTECC71 como um “verdadeiro monstro” devido à sua massiva taxa de formação de estrelas. Seu comentário reflete a importância desta descoberta em termos de compreensão da composição do universo primitivo e da evolução das galáxias. A revelação de que o universo primitivo pode ter contido muito mais poeira do que inicialmente se pensava poderia levar a novas teorias e modelos no campo da cosmologia.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.