YouTubers capturam a velocidade da luz em câmera filmando a 10.000.000.000.000 de quadros por segundo

por Lucas
0 comentário 11 visualizações

Os Slow Mo Guys, uma dupla composta por Gavin Free e Daniel Gruchy, tornaram-se uma presença significativa no YouTube, conhecidos por seu trabalho com câmeras de alta velocidade. Seu canal atraiu mais de 14 milhões de inscritos, em grande parte devido ao seu conteúdo único que exibe vários fenômenos em velocidades extremamente lentas. Essa abordagem permite uma visão detalhada, quadro a quadro, de eventos dinâmicos, particularmente explosões, que são apresentadas de uma maneira raramente vista na vida cotidiana. Sua habilidade em capturar esses momentos com tanto detalhe não apenas demonstra sua habilidade técnica, mas também proporciona uma experiência visualmente fascinante para os espectadores.

Entre seus inúmeros vídeos, alguns notáveis incluem um balão de água de 6 pés estourando a 2.500 quadros por segundo, imagens de Will Smith manuseando um lança-chamas e um clipe de James Corden sendo atingido no rosto, que ganhou popularidade substancial. Esses exemplos refletem a ampla gama de conteúdo que eles produzem, todos unificados pela técnica de câmera lenta. Seus vídeos se destacam tanto pela criatividade do conteúdo quanto pela tecnologia avançada usada para capturar esses momentos, apresentando eventos cotidianos sob uma nova e intrigante luz.

Capturando a Velocidade da Luz

Em um projeto ambicioso, os Slow Mo Guys se propuseram a capturar algo extraordinariamente rápido – a velocidade da luz. A luz viaja a cerca de 300.000 quilômetros por segundo, uma velocidade que representa o limite absoluto no universo. Para realizar essa façanha, eles colaboraram com o CalTech e seu equipamento especializado, incluindo uma câmera capaz de filmar a impressionantes 10 trilhões de quadros por segundo. Esse empreendimento exigiu que eles entrassem no reino dos picossegundos (1/1.000.000.000.000 de segundo) para visualizar o movimento da luz.

A tarefa apresentou desafios significativos, principalmente como filmar algo se movendo na velocidade da luz. Com a ajuda de Peng Wang, um pesquisador pós-doutorado no departamento de Fotografia Ultra Rápida Comprimida do CalTech, eles exploraram os aspectos técnicos de capturar fenômenos de alta velocidade. A filmagem final, mostrando a luz movendo o comprimento de uma garrafa em 2.000 picossegundos, marcou uma conquista significativa tanto em fotografia quanto em visualização científica.

Você pode assistir ao vídeo no YouTube aqui.

Este projeto não foi apenas um triunfo técnico, mas também um testemunho dos avanços na tecnologia de câmeras e sua aplicação na visualização de fenômenos além da percepção humana. A reação ao vídeo foi extremamente positiva, com muitos espectadores expressando espanto com a capacidade de ver a velocidade da luz capturada em câmera. Os comentários variaram de admiração pelas capacidades tecnológicas a um sentimento de descrença ao testemunhar algo tão fundamental e ao mesmo tempo elusivo como a velocidade da luz.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.