Blocos de construção da vida sobrevivem nas nuvens sulfúricas de Vênus

por Lucas
0 comentário 60 visualizações Daimia Bouic/JAXA/ISAS/DARTS

Vênus, frequentemente considerado um planeta inóspito devido às suas extremas condições atmosféricas, revela novas possibilidades de estudo sobre a resistência de componentes vitais para a vida, como sugerem pesquisas recentes. Com uma pressão atmosférica e temperaturas altíssimas, capazes de achatar e cozinhar instantaneamente qualquer coisa em sua superfície, Vênus oferece um ambiente desafiador para a sobrevivência de formas de vida como as conhecemos.

Nas nuvens do planeta, no entanto, as condições são mais amenas, com temperaturas e pressões mais próximas ao normal terrestre, embora a presença de ácido sulfúrico torne a atmosfera ainda hostil. Neste cenário, o trabalho conduzido pela Professora Sara Seager, seu filho e equipe se destaca. Eles investigaram o impacto de um ambiente extremamente ácido nas moléculas de aminoácidos, essenciais para a vida como a conhecemos por serem os blocos construtores das proteínas.

A pesquisa revelou que, de 20 aminoácidos testados, 11 permaneceram inalterados e outros 8 sofreram modificações apenas em suas cadeias laterais após quatro semanas em altas concentrações de ácido sulfúrico. Estes resultados indicam uma surpreendente resistência desses compostos em condições extremas.

Este estudo é um seguimento de uma pesquisa anterior de Seager sobre a estabilidade das bases de ácidos nucleicos, os componentes do DNA e RNA, em ácido sulfúrico. Descobriu-se que estas bases também podem sobreviver intactas em ambientes extremos, como as nuvens de Vênus.

Os pesquisadores comentam: “As propriedades químicas do ácido sulfúrico concentrado diferem significativamente daquelas da água, tanto que nossos resultados podem parecer inesperados. Nossas descobertas ajudam a desafiar o equívoco predominante nas comunidades de astrobiologia e biologia de que compostos orgânicos são uniformemente instáveis em ácido sulfúrico concentrado.”

Embora a estabilidade química não seja equivalente à vida, ela abre novas perspectivas sobre a habitabilidade nas nuvens de Vênus. Esse interesse foi intensificado após a detecção de fosfina nas nuvens, uma molécula produzida por formas de vida na Terra, mas cuja origem em Vênus ainda é incerta.

Para compreender melhor o que acontece, ou pode acontecer, nas nuvens de Vênus, são necessárias missões diretas ao planeta. Várias missões estão sendo planejadas, incluindo uma particular no próximo ano e outras da NASA e da Agência Espacial Europeia na próxima década.

Os autores do estudo enfatizam: “Vênus, nosso planeta vizinho, está convenientemente próximo, o que nos permite sondar diretamente suas partículas de nuvens por meio de missões espaciais. Finalmente, uma amostra retornada da atmosfera de Vênus pode ser necessária para assegurar robustamente a presença de vida, se de fato a vida existir lá.”

O estudo foi aceito para publicação no periódico Astrobiology e está disponível no ArXiv.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.