Betelgeuse está prestes a desaparecer. Veja como ver o fenômeno

por Junior
0 comentário 38 visualizações

Em anos recentes, Betelgeuse, uma proeminente estrela supergigante vermelha localizada na constelação de Orion, tem apresentado um comportamento anormal de escurecimento. A estrela, conhecida por sua luminosidade e visibilidade, experimentou uma redução significativa de brilho em 2019. Essa mudança repentina despertou grande interesse e especulação na comunidade astronômica, levando a teorias de que Betelgeuse poderia estar se aproximando de um evento de supernova. No entanto, essas especulações não foram conclusivamente provadas, e as razões exatas para o escurecimento permanecem um tópico de pesquisa e debate em andamento.

Evento de Ocultação Raro

Um evento notável envolvendo Betelgeuse está previsto para ocorrer em 12 de dezembro, quando um asteroide chamado 319 Leona deve passar na frente da estrela, causando uma ocultação. Este evento deve bloquear Betelgeuse da vista da Terra por aproximadamente 5 segundos, semelhante a um eclipse solar onde a lua obscurece o sol. Ao contrário das ocultações de asteroides por estrelas típicas, nas quais a luz da estrela é completamente bloqueada, 319 Leona deve causar um eclipse de “anel de fogo”, parcialmente obscurecendo a luz de Betelgeuse, mas permitindo que alguns de seus aspectos mais sombrios sejam visíveis da Terra.

Esse evento é particularmente significativo para o campo da física estelar, pois o eclipse permitirá que os astrônomos estudem as características menos conhecidas de Betelgeuse. Atualmente, nenhum observatório terrestre pode capturar esse tipo de informação sem o auxílio de um evento como esse. Os dados coletados durante a ocultação podem fornecer insights na dinâmica dos movimentos de gás quente e carregado ao redor de Betelgeuse, conhecidos como células convectivas da estrela. A compreensão desses processos é crucial para compreender a formação de sistemas planetários, bem como a física subjacente às estrelas supergigantes e seu papel na geração de vento estelar.

Campanhas de Observação e Participação

A iminente ocultação de Betelgeuse mobilizou a comunidade astronômica, levando à organização de extensas campanhas de observação. O astrofísico Miguel Montargès do Observatório de Paris, junto com uma equipe de cerca de 80 astrônomos amadores em toda a Europa, está coordenando esforços para observar e documentar o evento. O objetivo é capturar o máximo de dados possível durante a curta ocultação, potencialmente gerando uma imagem da superfície de Betelgeuse na luz visível. Imagens como essa poderiam esclarecer ainda mais as características de convecção da estrela e sua influência na produção de vento estelar.

A participação na observação deste evento é geograficamente específica, exigindo presença dentro de uma faixa estreita, com aproximadamente 60 quilômetros de largura, que se estende por várias regiões, incluindo o sul da Europa, Turquia, Grécia, Itália, Espanha, Portugal e até mesmo chegando à ponta sul da Flórida. A International Occultation Timing Association’s (IOTA) fornece recursos em seu site para determinar locais de visualização ideais.

Para aqueles que desejam realizar observações científicas, são recomendados equipamentos e técnicas específicos. O uso de telescópios equipados com filtros vermelho, verde ou azul e a gravação do evento com câmeras ajustadas para no máximo 50 milissegundos de tempo de exposição é recomendado. A documentação precisa de latitude, longitude e tempo até o milésimo é crucial, alcançável por meio de insertores de tempo controlados por GPS ou aplicativos de sincronização dedicados.

Além disso, o Virtual Telescope Project planeja transmitir ao vivo o evento, permitindo uma participação e observação mais amplas. A transmissão ao vivo está programada para as 20h ET de 11 de dezembro, oferecendo uma oportunidade para aqueles fora da faixa estreita de observação testemunharem e participarem deste evento astronômico único.

A comunidade astronômica, incluindo profissionais e amadores, está pronta para reunir e compartilhar observações, contribuindo para uma melhor compreensão de Betelgeuse e dos processos em jogo nas estrelas supergigantes. Este esforço colaborativo destaca a importância de tais eventos celestes para o avanço do nosso conhecimento do universo. (Por favor, inclua imagens quando aprimorarem o conteúdo.)

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.