Cientistas descobrem 6 mundos alienígenas perfeitamente sincronizados

por Lucas
0 comentário 29 visualizações

Astrônomos descobriram um raro sistema planetário, não muito distante do nosso Sistema Solar, que apresenta um exemplo impressionante de harmonia celestial. Este sistema, orbitando a estrela HD 110067, possui seis exoplanetas em uma cadeia única de ressonância, uma configuração que os astrofísicos acreditam ter permanecido inalterada desde a formação do sistema há mais de um bilhão de anos.

Revelando a Harmonia

A estrela HD 110067, uma anã laranja, está localizada a aproximadamente 100 anos-luz de distância na constelação de Coma Berenices. Foi observada pela primeira vez pelo telescópio caçador de exoplanetas TESS da NASA em 2020, que inicialmente identificou sinais de dois planetas orbitando.

No entanto, um estudo de acompanhamento em 2022 com o telescópio Cheops da Agência Espacial Europeia revelou um quadro mais complexo: um total de seis exoplanetas, todos trancados em uma dança ressonante.

O astrofísico Rafael Luque, da Universidade de Chicago, observa que um sistema tão prístino e inalterado é incrivelmente raro, com apenas cerca de um por cento de todos os sistemas mantendo sua ressonância por períodos tão longos. Este fenômeno ocorre quando os períodos orbitais dos corpos celestes se alinham em uma proporção específica, influenciando-se mutuamente através de forças gravitacionais. vídeo aqui

A Cadeia de Ressonância

A ressonância desses seis exoplanetas, classificados como mini-Netunos devido ao seu tamanho, é expressa em seus períodos orbitais. Variando de 1,94 a 2,85 vezes o raio da Terra, esses planetas completam suas órbitas em períodos de 9,11 dias, 13,67 dias, 20,52 dias, 30,79 dias, 41,06 dias e 54,77 dias, respectivamente. Isso os alinha em ressonâncias de 3:2, 3:2, 3:2, 4:3 e 4:3, tornando o sistema apenas o terceiro de seu tipo conhecido por ter uma cadeia ressonante de seis corpos.

A descoberta deste sistema abre uma janela para os estágios iniciais da formação e migração planetária. Sugere uma história sem perturbações significativas, como impactos gigantes ou encontros próximos com outras estrelas. Essa estabilidade é crucial para manter a ressonância, pois até mesmo pequenas perturbações podem perturbar o delicado equilíbrio das forças gravitacionais que mantêm os planetas sincronizados.

Veja o vídeo

Uma Janela para a Evolução Planetária

HD 110067 se destaca como um ‘fóssil’ raro do cosmos, proporcionando aos astrônomos uma oportunidade única de estudar a migração planetária e as propriedades dos discos protoplanetários em um ambiente não perturbado. Os pesquisadores envolvidos no estudo destacam o potencial do sistema para explorações futuras, especialmente com o Telescópio Espacial James Webb. O brilho de HD 110067 e as atmosferas estendidas de seus planetas o tornam um candidato ideal para espectroscopia de transmissão, uma técnica que poderia revelar mais sobre a natureza dos planetas sub-Netuno e as condições sob as quais cadeias ressonantes se formam e persistem.

Esta pesquisa não apenas acrescenta ao nosso entendimento dos sistemas planetários, mas também sublinha a natureza dinâmica e interconectada do universo. À medida que continuamos a explorar e descobrir, sistemas como o HD 110067 nos lembram dos mecanismos intrincados e muitas vezes belos em ação no cosmos.

O estudo completo e suas descobertas foram detalhados na revista Nature.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.