Hábito matinal comum pode ser sinal de que você tem o “gene Neandertal”

por Lucas
3 comentários 44 visualizações

Um estudo recente publicado na revista Genome Biology and Evolution oferece novas percepções sobre a composição genética dos Neandertais e sua influência nos humanos modernos. Esta pesquisa, liderada por John Capra, epidemiologista da Universidade da Califórnia em São Francisco, aprofunda-se no DNA antigo dos Neandertais, uma espécie que coexistiu com os primeiros humanos e eventualmente se extinguiu há cerca de 40.000 anos. Os Neandertais, tendo vivido na Eurásia por centenas de milhares de anos, acredita-se que tenham se cruzado com os primeiros humanos, levando à integração de seus traços genéticos no DNA humano moderno.

O estudo focou especificamente em 246 genes circadianos, que são cruciais na regulação do relógio biológico interno, influenciando padrões como sono e vigília. Esses genes desempenham um papel vital em determinar o ritmo circadiano de um indivíduo, essencialmente ditando se eles são naturalmente inclinados a ser pessoas matutinas ou vespertinas. A equipe de pesquisa, usando uma combinação de análise de DNA antigo, estudos genéticos em larga escala em humanos modernos e inteligência artificial, identificou variações genéticas significativas nos sistemas circadianos dos Neandertais comparados aos humanos modernos.

A Conexão da Pessoa Matutina

Um dos achados mais intrigantes deste estudo é a possível ligação entre o DNA dos Neandertais e a propensão a ser uma pessoa matutina. A pesquisa sugere que aqueles que naturalmente acordam cedo e se sentem mais energéticos pela manhã podem ter herdado esse traço de seus ancestrais Neandertais. Essa conclusão é tirada da observação dos efeitos dos remanescentes do DNA Neandertal nos genomas dos humanos modernos, particularmente no controle dos genes circadianos. Essas influências genéticas parecem aumentar predominantemente a tendência a ser uma pessoa matutina.

A equipe de Capra observou que essa característica genética se alinha com as adaptações necessárias para viver em latitudes mais altas, onde os padrões de luz sazonal mudam significativamente. Essa adaptação nos Neandertais, visando alinhar seus relógios circadianos mais rapidamente com as condições variáveis de luz sazonal, parece ter sido transmitida a alguns humanos modernos. Essa evidência adiciona uma nova dimensão ao nosso entendimento da relação intrincada entre espécies humanas antigas e seu ambiente, bem como o legado evolutivo que continua a nos influenciar.

Adicionando uma perspectiva independente, o Professor Mark Maslin do University College London, que não participou do estudo, reconhece essa evidência genética, reforçando o conceito de que certos indivíduos são geneticamente predispostos a ser pessoas matutinas.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.

3 comentários

Vera 22/12/2023 - 01:03

Eu tinha certeza q essa caracteristica de ser matutino tinha a ver c um comportamento pré histórico .Com o advento da luz eletrica nao precisamos acordar tao cedo

Comentar
Não reintegrar 23/12/2023 - 03:27

Man eu durmo umas 00:00 ou 23:00 e acordo antes das 6:30 e depois das 6:00 e fico sem dono durante amanhã e um pouco da tarde então devo ter traço neandertal né?

Comentar
Celsio 24/12/2023 - 07:13

O homem sem Deus é louco em tudo.

Comentar