‘Mais inteligente que os humanos’: a previsão perturbadora de gigante da tecnologia sobre IA

por Lucas
0 comentário

A Meta, empresa controladora de grandes plataformas como Facebook, Instagram e WhatsApp, posicionou-se como um concorrente significativo no avanço da inteligência artificial (IA). Sua abordagem sugere uma visão onde os sistemas de IA superariam a inteligência humana em todos os domínios, segundo o El Cronista.

Essa ousada afirmação foi feita no contexto do Fórum Econômico de Davos, onde o Vice-Presidente e Chefe de IA da Meta, Yann LeCun, delineou as expectativas da empresa para a IA nas próximas décadas. A perspectiva de LeCun é que os humanos possuem um tipo especializado de inteligência, proficientes em certas áreas, mas deficientes em outras. Ele antecipa que as máquinas eventualmente superarão as capacidades de inteligência humana, mas enfatiza que isso ainda vai demorar.

LeCun explicou o estado atual da IA, comparando o nível inicial de inteligência desses sistemas ao de gatos ou cães. A progressão em direção à inteligência no nível humano, segundo ele, é uma jornada desafiadora, que necessita do desenvolvimento de novas aplicações e modelos. Apesar desses desafios, o objetivo da Meta não é substituir os humanos, mas criar sistemas de IA que auxiliem nas tarefas humanas.

Um dos projetos intrigantes que a Meta está explorando envolve o desenvolvimento de pulseiras capazes de detectar movimentos musculares. Essa tecnologia poderia permitir digitar sem a necessidade de usar as mãos de maneira visível, potencialmente revolucionando a forma como interagimos com dispositivos digitais. LeCun especula sobre um futuro onde as interações no mundo digital são principalmente moderadas por assistentes de IA, que poderiam ser comandados por voz, escrita ou gestos. Essa visão vai além de dispositivos atuais como smartphones e óculos inteligentes, sugerindo uma abordagem mais integrada da IA na vida cotidiana.

Outra área significativa de foco para a Meta é a aplicação de IA na comunidade empresarial. Um exemplo é o desenvolvimento de sistemas de chat para interação com clientes, visando otimizar e aprimorar os processos de comunicação. Nicola Mendelsohn, Diretora do Grupo de Negócios Globais da Meta, destacou o potencial das ferramentas de IA para desbloquear oportunidades de produtividade.

A Meta enfatizou o impacto econômico da IA, particularmente no contexto dos Estados Unidos. Se as 500 maiores empresas dos EUA pudessem aumentar sua produtividade em 10% por meio da IA, isso poderia levar a um impacto econômico de aproximadamente 2,25 trilhões de dólares. Em média, demonstrou-se que a IA aumenta a rentabilidade dos gastos em 32%, um número significativo que sublinha a crescente aceitação e integração das tecnologias de IA em vários setores.

No geral, as iniciativas de IA da Meta refletem uma tendência mais ampla na tecnologia, onde a IA não é apenas uma ferramenta para automação, mas uma força transformadora que remodela a forma como as empresas operam e como os indivíduos interagem com o mundo digital.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.