Mudança do vórtice polar pode acontecer. Veja o que significa

por Lucas
0 comentário 162 visualizações

O vórtice polar é um termo frequentemente usado em meteorologia, especialmente ao discutir padrões climáticos no hemisfério norte. Refere-se à circulação de ventos que se movem de oeste para leste ao redor do Ártico. Esta circulação é dividida em duas partes distintas: o vórtice polar troposférico e o vórtice polar estratosférico.

O vórtice polar troposférico existe dentro da troposfera, a camada atmosférica mais próxima da superfície da Terra. Esta parte do vórtice é uma característica permanente, presente durante todo o ano, mas sua força varia sazonalmente. É mais potente durante os meses de inverno e desempenha um papel significativo no clima das médias latitudes. A força do vórtice troposférico influencia a zonificação atmosférica. Um vórtice troposférico forte normalmente resulta em uma atmosfera mais zonal, marcada pela rápida passagem de tempestades movendo-se de oeste para leste. Por outro lado, um vórtice troposférico mais fraco leva a uma circulação mais sinuosa, facilitando trocas de calor e frio entre o norte e o sul.

O vórtice polar estratosférico, por outro lado, é um fenômeno sazonal, atingindo sua força máxima no inverno. Está localizado aproximadamente a 30 quilômetros acima da Terra, em uma região onde a pressão é de cerca de 10hPa. As interações entre os vórtices estratosférico e troposférico são complexas e não instantâneas. Geralmente, um vórtice estratosférico mais forte está associado a condições climáticas mais zonais na superfície. Isso significa uma circulação robusta de oeste com depressões movendo-se rapidamente para leste, sem cristas ou cavados significativos.

O enfraquecimento do vórtice polar estratosférico, ou uma reversão em seus ventos (mudando de oeste-para-leste para leste-para-oeste), pode ter efeitos a jusante na troposfera, alterando padrões climáticos na superfície. Este fenômeno é particularmente relevante ao discutir o aquecimento súbito estratosférico (ASE).

O aquecimento súbito estratosférico refere-se a um aumento rápido e significativo da temperatura na parte estratosférica do vórtice. Este aumento pode ser tão dramático quanto 50ºC ou mais em um período de 2 a 3 dias. Durante o inverno, o vórtice polar estratosférico é tipicamente caracterizado por temperaturas muito frias e ventos fortes de oeste. No entanto, se um evento de ASE ocorre, ele interrompe o vórtice polar alterando significativamente sua estrutura e a força desses ventos de oeste.

Um aspecto significativo dos eventos de ASE é a reversão dos ventos médios a 10hPa, mudando de direções de oeste para leste. Esta reversão pode ser consequente apesar de ocorrer em altas altitudes. A atmosfera pode ser comparada a uma série de engrenagens interconectadas, onde os movimentos de cada camada afetam as outras. Uma reversão em uma camada pode levar a alterações substanciais nas camadas abaixo, incluindo a troposfera.

No entanto, a ocorrência de um ASE não garante uma mudança nos padrões climáticos. Para que uma mudança ocorra, os efeitos do ASE devem se propagar para a troposfera. Mesmo que essa propagação ocorra, os impactos e consequências específicos são difíceis de prever e dependem de vários fatores.

De acordo com as previsões meteorológicas atuais, há uma possibilidade de ocorrência de um evento de ASE. Isso é sugerido pelo sistema de previsão probabilística de longo prazo do centro europeu, que indica um potencial enfraquecimento ou reversão do vórtice estratosférico. No entanto, há uma considerável incerteza em torno dessas previsões. A previsão indica que a maioria dos membros do modelo sugere um enfraquecimento ou reversão, mas a situação permanece fluida e sujeita a mudanças.

Os impactos potenciais de um evento de ASE, se ocorrer e se propagar para a troposfera, ainda são incertos. A natureza desses impactos, sua intensidade e sua distribuição geográfica não podem ser determinadas com precisão antecipadamente. Meteorologistas e cientistas climáticos continuam monitorando a situação de perto, analisando dados e atualizando previsões à medida que novas informações se tornam disponíveis.

Durante um ASE, a estrutura e a força do vórtice polar estratosférico são alteradas. Isso pode enfraquecer o vórtice polar troposférico ou alterar sua posição. Um vórtice polar troposférico enfraquecido ou deslocado pode levar a uma circulação atmosférica mais sinuosa (menos zonal), o que por sua vez pode permitir que o ar muito frio do Ártico se desloque para latitudes mais baixas, afetando regiões que normalmente experimentam climas mais amenos, o que pode caracterizar um inverno rigoroso em partes do Hemisfério Norte.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.