OVNIs podem ser humanos do futuro nos vigiando, alega hipótese bizarra

por Lucas
0 comentário 141 visualizações

O conceito de viagem no tempo tem sido um elemento central tanto na ficção científica quanto na física teórica, apresentando cenários fascinantes e implicações teóricas complexas. A ideia foi notavelmente popularizada pelo romance “A Máquina do Tempo”, de H.G. Wells, frequentemente citado como a primeira exploração significativa da viagem no tempo por meios mecânicos. Essa abordagem marcou uma mudança em relação a histórias anteriores, como “Rip Van Winkle”, que envolviam elementos sobrenaturais para alterar a percepção do tempo.

Na ficção, a viagem no tempo é retratada de várias formas, incluindo viagens por meio de máquinas, sem máquinas, ou através de anomalias que levam a realidades alternativas ou dimensões de bolso, onde o tempo se comporta de maneira diferente. Por exemplo, na história de Stephen King, “The Jaunt”, um personagem envelhece significativamente devido a uma fenda no tempo, e no episódio de Star Trek “The Inner Light”, o Capitão Picard vive uma vida inteira dentro de uma anomalia, enquanto apenas um curto período de tempo passa no mundo regular.

As teorias da vida real sobre viagem no tempo, no entanto, são consideravelmente diferentes e mais complexas. O consenso científico predominante sugere que, se a viagem no tempo é possível, é mais viável na direção para frente, alinhando-se com a forma como já experimentamos o tempo. Esse conceito é apoiado pelos efeitos relativísticos observados na viagem espacial, onde o tempo pode passar em ritmos diferentes para indivíduos no espaço em comparação com aqueles na Terra.

A possibilidade de viagem no tempo para trás introduz mais complexidades e desafios teóricos. Ao contrário da natureza direta da viagem no tempo para frente, mover-se para trás no tempo requer reconciliação com vários paradoxos e questões teóricas. Um desses paradoxos é o bem conhecido paradoxo do avô, que questiona as consequências de alterar eventos passados de uma maneira que impediria a existência do viajante no tempo, como por exemplo, um viajante voltar no passado e matar seu avô antes que ele conhecesse a sua avó. Logo, você nunca poderia ter nascido, e portanto, não poderia ter voltado no tempo e matado seu avô.

Abordando isso, o físico quântico Fabio Costa da Universidade de Queensland, em colaboração com um estudante, publicou um artigo em 2020 intitulado “Dinâmicas reversíveis com curvas temporais fechadas e liberdade de escolha”. Este artigo explora o paradoxo do avô e propõe que a viagem no tempo para trás, dentro de certos quadros da mecânica quântica, pode não necessariamente levar a inconsistências lógicas. De acordo com suas descobertas, um viajante do tempo poderia exercer livre arbítrio no passado sem afetar sua existência presente.

A pesquisa de Costa também aborda as limitações da viagem no tempo. Ele menciona que viajar de volta no tempo provavelmente exigiria ‘duas portas’ – uma no futuro e outra no passado, implicando que a viagem no tempo para o passado só é possível até o ponto em que uma ‘máquina do tempo’ existe. Essa teoria sugere que pessoas do futuro não podem nos visitar, a menos que uma máquina do tempo já tenha sido criada em nosso presente ou passado.

OVNIs são viajantes do tempo?

A noção de que objetos voadores não identificados (OVNIs) podem ser humanos do futuro nos visitando é uma extensão cativante das teorias de viagem no tempo. Esse conceito entrelaça os mistérios em torno das aparições de OVNIs com os aspectos especulativos, porém fascinantes, da física temporal. A ideia de que esses objetos não identificados em nossos céus possam ser veículos do nosso próprio futuro introduz uma perspectiva única tanto sobre o fenômeno dos OVNIs quanto sobre a natureza da viagem no tempo.

Alguns especialistas chegaram a considerar a a hipótese de que OVNIs são, de fato, máquinas do tempo vindas do futuro. A pesquisa de Costa sugere a possibilidade de viagem no tempo para trás sem causar paradoxos como o paradoxo do avô. Isso poderia, em teoria, fazer com que humanos do futuro pudessem potencialmente visitar seu passado – nosso presente – e observá-lo ou interagir com ele sem necessariamente alterar sua própria linha do tempo. Assim, segundo essa hipótese, avistamentos de OVNIs poderiam ser atribuídos a tais expedições de viagem no tempo.

A ideia é ainda reforçada pela exigência mencionada por Costa para a viagem no tempo – a existência de ‘duas portas’, uma no passado e uma no futuro.Se estamos sendo visitados por humanos do futuro, a tecnologia para tal viagem já pode existir ou estar em desenvolvimento. O sigilo ou a natureza discreta dessas visitas poderiam ser devido ao entendimento dos viajantes do tempo da necessidade de prevenir distúrbios temporais ou sua aderência a um princípio semelhante à ‘Diretiva Prime’ da ficção científica, que proíbe a interferência no desenvolvimento de civilizações menos avançadas.

Mas claro, vale frisar que a hipótese de OVNIs serem máquinas do tempo é totalmente especulativa e não apoiada por evidências concretas, mas deixa uma boa margem para imaginação e especulações. E você, o que acha?

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.