Por que ninguém jamais encontrou restos humanos dentro do Titanic?

por Lucas
0 comentário 192 visualizações

Mais de um século se passou desde que o Titanic encontrou seu trágico destino, mas sua história continua a cativar e revelar detalhes surpreendentes. Entre os aspectos menos conhecidos da saga do Titanic está o fato de que, apesar da extensa exploração de seus restos submersos desde sua descoberta em setembro de 1985, nenhum resto humano foi encontrado no local do naufrágio.

James Cameron, o aclamado diretor do filme “Titanic” de 1997, visitou pessoalmente o naufrágio 33 vezes. Ele afirma ter passado mais tempo no navio do que seu capitão durante sua desastrosa viagem inaugural. Em uma declaração ao New York Times em 2012, Cameron observou que, embora tenham sido encontrados sinais como roupas e pares de sapatos – indicando a presença de corpos em algum momento – nenhum resto humano foi observado. Essa ausência de restos mortais gerou várias teorias e especulações.

A falta de restos mortais descobertos pode ser atribuída a vários fatores. Um fator significativo envolve os coletes salva-vidas usados por muitos passageiros e membros da tripulação. Apesar de não cumprirem seu propósito de manter os usuários à tona até o resgate, esses coletes permaneceram flutuantes após a morte dos indivíduos que os usavam. Uma tempestade após o naufrágio do Titanic provavelmente acelerou o movimento dos corpos para longe dos destroços. Além disso, as correntes oceânicas ao longo do século dispersaram ainda mais quaisquer restos do local do naufrágio.

Outra razão para o desaparecimento dos corpos está relacionada aos processos naturais no mar profundo. O naufrágio do Titanic, localizado a uma profundidade superior a 3800 metros, fica abaixo da profundidade de compensação de carbonato de cálcio. Como explicado pelo explorador marinho Robert Ballard à NPR, nessas profundidades, a água está sub-saturada em carbonato de cálcio, um componente primário dos ossos. Após os saqueadores do mar profundo, como peixes e outros organismos, consumirem a carne e exporem os ossos, esses ossos se dissolvem nas condições sub-saturadas.

Existem exemplos contrastantes de naufrágios mais antigos onde ossos foram encontrados. No entanto, esses naufrágios estão tipicamente situados em profundidades mais rasas, onde as condições são diferentes das profundezas extremas em que o Titanic repousa.

Há especulações de que em partes fechadas do Titanic, como a sala de máquinas, onde a água rica em oxigênio necessária para esses organismos pode não ter penetrado, alguns restos preservados podem existir. No entanto, dado o passar de mais de 111 anos desde o naufrágio do navio, a probabilidade de encontrar restos humanos reconhecíveis diminui.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.