Truque simples pode ajudá-lo a ter sucesso em sua próxima entrevista de emprego

por Lucas
0 comentário

A procura de emprego, um processo frequentemente marcado por estresse e apreensão, envolve várias etapas, sendo uma das mais críticas a entrevista. Esta etapa requer um equilíbrio delicado entre demonstrar competência e manter a simpatia. Um estudo conduzido por Jieun Pai, professora assistente na Escola de Negócios do Imperial College London, e sua equipe, lança luz sobre uma abordagem denominada “humorbragging”, que parece ser uma estratégia potente neste contexto.

O conceito de humorbragging surge como uma solução para o desconforto associado à autopromoção. O estudo, composto por quatro investigações separadas, explora a eficácia do humorbragging em diferentes cenários relacionados à busca de emprego. Estas investigações focam em áreas como apresentação de currículo, entrevistas de emprego, pitches empreendedores e diferenciação entre tipos de humor em entrevistas.

Na primeira investigação, a equipe criou dois currículos fictícios, idênticos em todos os aspectos, exceto pela inclusão de humorbragging em um. O currículo com o elemento humorístico, por exemplo, uma declaração como, “Quanto mais café você fornecer, mais produtivo serei”, recebeu uma taxa de resposta notavelmente mais alta quando enviado a 345 empresas. Esta resposta foi quantificada pelo nível de interesse demonstrado pelos empregadores, medido através de visitas ao site e contatos de recrutadores. O currículo com humor atraiu três vezes mais respostas do que o direto, sugerindo o potencial do humor em capturar a atenção dos empregadores em um mercado de trabalho competitivo.

A segunda parte do estudo mergulhou no âmbito das entrevistas de emprego. Neste cenário, voluntários assumiram o papel de um gerente de restaurante entrevistando candidatos para uma posição de chef de confeitaria. Eles foram apresentados com dois transcritos de entrevistas para avaliar: um contendo comentários humorísticos e o outro um relato direto da experiência do candidato. O candidato que empregou humorbragging foi percebido como mais caloroso e competente, e mais propenso a ser oferecido o emprego hipotético. Esta parte do estudo destacou que até mesmo uma única linha de humor autovalorizante poderia impactar significativamente os resultados da entrevista, conforme observado por Jieun.

A pesquisa se estendeu ainda para a arena de pitches empreendedores, focando no programa de TV “Shark Tank”. Analisando os pitches de empreendedores masculinos das quatro primeiras temporadas do programa, a equipe examinou a correlação entre humorbragging nos pitches e a probabilidade de garantir investimento. Eles observaram que pitches incorporando humorbragging tinham mais chances de resultar em ofertas de investimento. Este achado sugere que o humorbragging pode ser uma ferramenta eficaz não apenas em entrevistas de emprego, mas também em cenários empreendedores de alto risco.

O segmento final do estudo visou distinguir entre humorbragging e outras formas de humor usadas em entrevistas. Esta diferenciação é crucial, pois a pesquisa postula que especificamente o humorbragging, não o humor em geral, é o ingrediente chave para se destacar em um ambiente de entrevista. Esta especificidade sublinha o uso estratégico do humorbragging em contextos profissionais.

Embora o estudo ilumine os potenciais benefícios do humorbragging, ele também reconhece certas limitações. Jieun enfatiza a importância do contexto e da execução ao empregar o humor. O sucesso do humorbragging pode variar dependendo do campo de trabalho, contexto cultural e diferenças individuais na apreciação do humor. Portanto, embora o humor possa ser uma ferramenta eficaz, ele requer adaptação cuidadosa à situação específica e ao público.

À luz desses achados, candidatos a emprego podem considerar integrar humorbragging em suas aplicações e entrevistas. No entanto, o estudo aconselha cautela, sugerindo que o humor não deve ser usado excessivamente e deve ser adaptado para se adequar ao contexto específico e nuances culturais ou sociais potenciais.

Os resultados do estudo foram publicados no Personality and Social Psychology Bulletin.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.