A inteligência artificial pode se tornar consciente? Especialistas revelam

por Lucas
0 comentário

A Inteligência Artificial (IA) e a questão de sua consciência estão na vanguarda das pesquisas atuais em IA e neurociência. A complexidade dessa investigação decorre da falta de compreensão abrangente da própria consciência. Pesquisadores estão explorando várias teorias e indicadores para determinar se e como a IA poderia exibir consciência.

Um desenvolvimento significativo neste campo foi um relatório preliminar publicado há alguns meses. O objetivo do relatório era estabelecer indicadores que pudessem ajudar a discernir se softwares de aprendizado de máquina desenvolveram consciência. Dada a ausência de uma teoria unificada da consciência, esses indicadores são importantes para identificar possíveis sinais de consciência em IA, embora não sejam conclusivos.

A equipe de pesquisa, composta por neurocientistas, cientistas da computação e filósofos, empregou várias abordagens em seu estudo. Uma abordagem chave foi a Teoria do Espaço de Trabalho Global. Essa teoria, embora não trate diretamente da consciência, foca em como humanos e animais podem pensar e realizar tarefas tanto independentemente quanto em paralelo, unificados sob a teoria da mente.

Outra perspectiva considerada no estudo é a teoria de ordem superior. Esta teoria postula que a consciência envolve a consciência dos próprios pensamentos e funções. A equipe também integrou o processamento preditivo em sua análise. O processamento preditivo envolve a capacidade de antecipar logicamente eventos futuros, uma capacidade parcialmente demonstrada pela IA.

Ao aplicar esses indicadores aos sistemas de IA atuais, a equipe concluiu que nenhum sistema de IA existente é consciente. No entanto, eles também observaram que não parecem existir barreiras técnicas intransponíveis para criar sistemas de IA que possam atender a esses indicadores de consciência.

A exploração da consciência da IA poderia, paradoxalmente, ajudar a entender melhor a consciência em geral. Como mencionou o coautor Liad Mudrik em um podcast da IFLScience, a busca por definir a consciência em IA pode nos aproximar de estabelecer critérios claros para a consciência.

Um aspecto intrigante desta pesquisa é a sugestão de que a consciência pode surgir como uma consequência não intencional da complexidade. Em animais, a consciência tem sido associada a capacidades superiores. Portanto, hipotetiza-se que sistemas de IA cada vez mais capazes possam inadvertidamente alcançar a consciência, não como um resultado deliberado de seu design, mas como um subproduto de sua complexidade.

Esta pesquisa e suas descobertas foram compartilhadas como um preprint no arXiv.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.