A Terra foi atingida por um raio cósmico ultrapoderoso de ‘partícula deusa’, e não temos ideia de onde ele veio

por Lucas
0 comentário

Pesquisadores detectaram um raio cósmico de ultra-alta energia, um dos mais poderosos já observados, deixando os cientistas perplexos com sua origem misteriosa. Esta partícula notável, apelidada de “Amaterasu” em homenagem a uma deusa japonesa, originou-se de uma direção no universo que é em grande parte inexplorada, apresentando um novo enigma na astrofísica.

Raios Cósmicos: Um Banho Cósmico Constante

Os raios cósmicos são uma presença constante, bombardeando cada centímetro do universo, incluindo a Terra. Eles são compostos principalmente de prótons ou núcleos de hélio.

No entanto, um pequeno subconjunto desses raios, conhecidos como “raios cósmicos de ultra-alta energia”, possui níveis de energia muito superiores à média. Essas partículas, com energia superior a um exa-elétron volt (EeV) — um quintilhão de elétrons-volts —, são um milhão de vezes mais energéticas do que partículas produzidas em aceleradores de partículas feitos pelo homem.

A Partícula Amaterasu: Um Novo Recorde Cósmico

Em 21 de maio de 2021, uma detecção significativa foi feita usando o projeto Telescope Array em Utah, abrangendo mais de 700 quilômetros quadrados. A partícula detectada possuía uma energia de 244 EeV, superando qualquer raio cósmico observado nas últimas três décadas, exceto pela partícula “Oh My God” (OMG) de 1991. Esta nova descoberta, chamada Amaterasu, intrigou cientistas devido à sua energia extraordinária e origem incerta.

Pesquisadores da Universidade Metropolitana de Osaka (OMU) estão prestes a publicar suas descobertas na revista Science. Toshihiro Fujii, autor principal do estudo e astrofísico da OMU, expressou sua incredulidade inicial no nível de energia deste raio cósmico, sem precedentes desde a partícula OMG, que tinha uma energia de 320 EeV.

A origem de Amaterasu permanece um mistério. Sua trajetória aponta para um vazio no universo, uma área desprovida de galáxias, nebulosas ou estruturas cósmicas conhecidas. Isso levanta questões sobre sua verdadeira fonte, com possibilidades que vão desde explosões de supernovas e fusões de buracos negros a pulsares. A partícula pode até indicar fenômenos astronômicos desconhecidos ou novos princípios físicos além do Modelo Padrão da física.

O enigma em torno das origens de raios cósmicos de ultra-alta energia como Amaterasu e a partícula OMG continua a perplexar os pesquisadores. Esses mistérios sublinham nosso entendimento limitado dos fenômenos extremos do universo. A esperança é que observatórios futuros lancem luz sobre as origens e as causas dessas partículas enigmáticas, avançando nossa compreensão do cosmos e seus eventos mais energéticos

Fonte: LiveScience

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.