Astronauta captura “evento luminoso transitório” bem acima da Terra

por Lucas
0 comentário 4 visualizações

O astronauta da Agência Espacial Europeia (ESA), Andreas Mogensen, recentemente capturou uma imagem rara de um “sprite vermelho”, um fenômeno elétrico elusivo e raramente visto. Essa conquista é um avanço significativo no entendimento de ocorrências atmosféricas.

O Experimento Thor-Davis: Uma Nova Perspectiva sobre Tempestades

Mogensen, um astronauta dinamarquês, realizou o experimento Thor-Davis, que incluiu visitas ao módulo observatório Cupola na Estação Espacial Internacional (ISS) todos os sábados. Seu objetivo era fotografar tempestades de um ponto de vista inacessível na Terra. A primeira imagem deste experimento, mostrando um Evento Luminoso Transitório (TLE) situado entre 40 e 80 quilômetros acima da Terra, oferece uma nova perspectiva sobre tempestades intensas e fenômenos meteorológicos de alta altitude.

TLEs, também conhecidos como sprites ou sprites de água-viva vermelha, têm sido um tópico de interesse entre pilotos há décadas. Primeiro registrados em julho de 1989, esses fenômenos raramente foram observados da superfície da Terra, muitas vezes evocando imagens de uma invasão alienígena devido à sua aparência incomum.

Entendendo Sprites: Além do Relâmpago Comum

Sprites

Friends of NASA: Nicolas Escurat

Diferentemente dos raios típicos que resultam do acúmulo de carga elétrica dentro das nuvens, os sprites vermelhos ocorrem quando essa descarga atinge a mesosfera da Terra, a até 80 quilômetros acima do solo. A interação da carga elétrica com o nitrogênio na atmosfera dá aos sprites sua estranha tonalidade vermelha.

A captura bem-sucedida do sprite por Mogensen foi possível graças a uma “câmera de evento”, um dispositivo que opera mais como o olho humano do que câmeras tradicionais. Essa tecnologia detecta mudanças de contraste em vez de capturar imagens estáticas, permitindo produzir aproximadamente 100.000 imagens por segundo enquanto consome pouca energia. Essa capacidade é fundamental no estudo de processos rápidos em relâmpagos.

O experimento Thor-Davis, além de capturar essas imagens fascinantes, visa aprofundar nosso entendimento de como os raios na atmosfera superior impactam as concentrações de gases de efeito estufa. A importância da captura de Mogensen vai além do estético, oferecendo insights sobre as complexas interações dentro de nossa atmosfera.

Olivier Chanrion, o cientista-chefe do experimento, expressou seu entusiasmo com os resultados. “Essas imagens feitas por Andreas são fantásticas”, ele comentou para a ESA. O sucesso da câmera Davis em capturar esses momentos fugazes abre novas portas na pesquisa atmosférica, preenchendo lacunas em nosso entendimento desses fenômenos naturais místicos.

Fonte: IFLScience

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.