Corrente do Oceano Atlântico vai colapsar em breve? Veja o que pode acontecer

por Lucas
0 comentário 622 visualizações

Quando as pessoas pensam nos riscos das mudanças climáticas, as mudanças abruptas são das mais assustadoras. Filmes como “O Dia Depois de Amanhã” exploram esses medos, com tempestades selvagens e pessoas fugindo de temperaturas que mudam rapidamente. Embora Hollywood exagere na velocidade e na escala, estudos recentes levantaram preocupações reais sobre uma corrente oceânica crucial que pode parar neste século, causando grandes perturbações.

Este cenário não é apenas ficção científica. A última vez que aconteceu foi há mais de 16.000 anos, mas exigiu uma perda massiva de gelo da Groenlândia. Uma nova pesquisa na revista Science sugere que o derretimento do gelo da Groenlândia, embora alarmante, pode não ser suficiente para parar a corrente por conta própria.

O sistema de correntes do Atlântico funciona como o sistema circulatório humano, distribuindo calor e nutrientes globalmente. A água quente dos trópicos viaja para o norte ao longo da costa dos EUA, cruza o Atlântico e esfria ao evaporar, tornando-se mais salgada e densa. Essa água mais densa afunda e flui de volta para o sul, mantendo o sistema em funcionamento.

Corrente do Oceano Atlântico vai colapsar em breve? A história dos icebergs revela pistas

Se essa circulação enfraquecer, espere caos. A liberação rápida de icebergs no Atlântico diminui a salinidade, o que desacelera a circulação. Se a água da superfície não conseguir afundar, o sistema colapsa, causando um resfriamento dramático na Europa e na América do Norte. A Amazônia pode secar, o Sahel da África se tornaria mais árido e o derretimento da Antártida aceleraria – tudo em questão de anos ou décadas.

Hoje, a camada de gelo da Groenlândia está derretendo rapidamente, provocando temores de um ponto de inflexão climático. Mas essa preocupação é justificada? Para descobrir, os cientistas olham para o passado.

Nos anos 1980, o cientista Hartmut Heinrich e sua equipe estudaram núcleos de sedimentos de águas profundas para ver se resíduos nucleares poderiam ser enterrados no Atlântico Norte. Esses núcleos contêm um histórico de depósitos no fundo do oceano ao longo de centenas de milhares de anos. Heinrich encontrou camadas com muitos fragmentos de rochas que só poderiam ter vindo de icebergs carregando detritos da terra.

Essas camadas ricas em detritos coincidiram com o enfraquecimento severo da corrente do Atlântico, conhecidas hoje como eventos de Heinrich. Ao examinar isótopos de urânio nos sedimentos, os cientistas puderam estimar quanto de água doce os icebergs adicionaram ao oceano no passado e comparar com os dias atuais.

Então, é provável que a corrente pare em breve? Provavelmente não. Apesar da perda maciça de gelo da Groenlândia, comparável aos eventos de Heinrich de intensidade média, é improvável que continue por tempo suficiente para parar a corrente. Icebergs interrompem a corrente mais eficazmente do que a água de derretimento da terra porque transportam água doce para pontos críticos onde a corrente afunda. O aquecimento futuro empurrará a camada de gelo da Groenlândia para longe da costa muito cedo para entregar icebergs suficientes.

A força da Circulação de Revolvimento Meridional do Atlântico (AMOC) deve diminuir entre 24% e 39% até 2100. Até lá, a produção de icebergs da Groenlândia será mais parecida com os eventos de Heinrich mais fracos, que duraram cerca de 200 anos.

Em vez de icebergs, o escoamento superficial dominará o afinamento da Groenlândia. A água de derretimento se mistura com a água do mar e fica na costa, não refrescando diretamente o oceano aberto como os icebergs à deriva.

O futuro do sistema de correntes do Atlântico depende de icebergs desacelerando e do escoamento acelerando, agravados pelo aumento das temperaturas dos oceanos. O risco não é iminente, mas o sistema circulatório da Terra continua vulnerável. A Nova York congelada de Hollywood pode não estar em nosso futuro, mas isso não significa que podemos ignorar as mudanças climáticas.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.