Descoberta de antigo canal pode resolver o mistério de como as pirâmides foram construídas

por Lucas
0 comentário 57 visualizações

O mistério em torno da construção das monumentais pirâmides do Egito pode estar perto de ser resolvido. Pesquisas recentes destacam a descoberta de um antigo braço do Rio Nilo, que outrora passava por Gizé, podendo esclarecer o mistério de longa data. Esta revelação sugere que a via fluvial, agora seca, foi crucial no transporte de vastos materiais e mão de obra essenciais para a construção dessas maravilhas atemporais.

Os pesquisadores examinaram a proximidade das pirâmides ao longo da margem do deserto ocidental do vale do Nilo. Esse agrupamento indica a presença passada de um curso d’água significativo, fundamental no apoio aos esforços de construção das pirâmides. A Dra. Eman Ghoneim, figura chave neste estudo, falou ao IFLScience, enfatizando o papel integral que esse caminho aquático provavelmente desempenhou na era antiga. A curiosidade de Ghoneim a levou a um salto espacial, utilizando imagens de radar de satélite para escanear o Vale do Nilo de uma perspectiva orbital. Essa tecnologia, capaz de penetrar a superfície da terra, revelou um mundo oculto abaixo – um leito de rio seco de 100 quilômetros de comprimento, serpenteando pelo deserto e terras agrícolas.

Surpreendentemente, a largura desse curso de água em certas áreas era vasta, comparável ao Nilo atual. Este achado desafia suposições anteriores sobre sua escala, reconhecendo-o como um ramal importante, não um pequeno afloramento. Batizado de Ramo Ahramat (árabe para Ramo das Pirâmides), este rio extinto percorria de Faiyum a Gizé, cruzando 38 locais de pirâmides. O objetivo futuro da equipe inclui analisar núcleos de solo deste antigo leito de rio, visando confirmar seu período operacional durante os Reinos Antigo e Médio, a era em que as pirâmides foram construídas.

À esquerda: ilustração que revela como as calçadas e os portos das pirâmides se alinham perfeitamente com o antigo braço do Nilo. Canto superior direito: uma ponte em Gizé que antes levava à orla marítima.

À esquerda: ilustração que revela como as calçadas e os portos das pirâmides se alinham perfeitamente com o antigo braço do Nilo. Canto superior direito: uma ponte em Gizé que antes levava à orla marítima.

Ligando Mistérios Antigos com Pesquisa Moderna

Embora esta descoberta não seja definitiva, sugere possibilidades intrigantes. A maioria das pirâmides estava ligada a calçadas terminando em templos do vale, que se assemelham a portos ou portos antigos. Curiosamente, esses templos estão predominantemente localizados ao longo da margem do recém-identificado Ramo Ahramat. Além de lançar luz sobre a construção das pirâmides, essa exploração de tributários antigos do Nilo abre caminhos para descobrir outros aspectos ocultos do Antigo Egito. Como Ghoneim aponta, o curso em constante mudança do Nilo provavelmente ocultou vários assentamentos antigos sob camadas de sedimentos, aguardando para serem redescobertos.

O estudo desses antigos cursos de água poderia melhorar significativamente a busca por essas cidades e vilas perdidas, fornecendo uma compreensão mais clara da rica herança do Egito. Esta pesquisa, apresentada no 13º Congresso Internacional de Egiptólogos, representa um avanço significativo na resolução dos mistérios do Antigo Egito. A descoberta do Ramo Ahramat não apenas propõe um método plausível para a construção das pirâmides, mas também abre caminho para futuras empreitadas arqueológicas, potencialmente desbloqueando mais segredos de uma civilização que cativou a humanidade por milênios.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.