Estranhas estruturas poligonais descobertas enterradas sob a superfície de Marte

por Lucas
0 comentário 49 visualizações

O veículo explorador Zhurong da China, a primeira missão chinesa a pousar em Marte, explorou Utopia Planitia, uma grande bacia de impacto no Planeta Vermelho. Essa área foi inicialmente visitada pela Viking 2 em 1976. Com o aproveitamento de avanços tecnológicos ao longo das décadas, o Zhurong forneceu novos insights sobre a geologia marciana. O rover descobriu 16 estruturas poligonais enterradas sob a superfície de Marte.

Localizadas a 35 metros abaixo do solo, essas formações foram detectadas usando o radar de penetração no solo do Zhurong. Os cientistas acreditam que esses polígonos se originaram de ciclos de congelamento e descongelamento, levando ao rachamento do terreno que uma vez estava na superfície. Fenômenos semelhantes foram observados em outras regiões marcianas, onde a sublimação e o congelamento moldaram a paisagem de maneiras únicas. Um exemplo são as “aranhas” marcianas. Especula-se que esse processo de congelamento e descongelamento tenha ocorrido ao longo de bilhões de anos.

Pesquisas anteriores em Utopia Planitia examinaram principalmente as camadas verticais da região, revelando inundações episódicas que preencheram a bacia aproximadamente 3 bilhões de anos atrás. No entanto, o novo estudo fornece insights sobre a estratificação horizontal por meio da análise de radar ao longo de um trecho de 1,9 quilômetros.

Cenário de formação da estrutura poligonal soterrada sob a Utopia Planitia.Crédito da imagem: Zhang et al, Nature Astronomy 2023

Cenário de formação da estrutura poligonal soterrada sob a Utopia Planitia. Crédito da imagem: Zhang et al, Nature Astronomy 2023

Marte, que já foi um planeta vulcanicamente ativo e lar do vulcão mais alto do Sistema Solar, ainda exibe atividade geológica, como evidenciado pelos marsquakes registrados pela missão InSight da NASA. Considerando isso, os pesquisadores inicialmente especularam que as estruturas enterradas poderiam ter uma origem vulcânica, semelhante à Calçada dos Gigantes na Terra. No entanto, a ausência de evidências de extrusões basálticas na área explorada pelo Zhurong levou a equipe a concluir que as estruturas são sedimentares, formadas através de processos térmicos em climas variáveis.

Essa descoberta sugere que Marte antigo tinha um clima mais variável. Utopia Planitia, situada em latitudes baixas a médias, aproximadamente 25 graus ao norte do equador marciano, pode ter experimentado estações dramaticamente diferentes devido a uma possível maior obliquidade de Marte no passado.

O estudo também indica que as estruturas poligonais foram enterradas sob camadas de material diferente delas, sugerindo uma transformação paleoclimática significativa. O ambiente úmido que provavelmente contribuiu para a formação delas pode ter deixado de existir, ou outro evento geológico pode ter alterado a paisagem.

Os pesquisadores afirmam: “Ocorrendo em baixas latitudes (∼25° N), o terreno poligonal, que é interpretado como tendo sido formado mais provavelmente por rachaduras de contração térmica, apresenta um caso convincente para a alta obliquidade do Marte antigo. A estrutura subsuperficial com os materiais de cobertura sobrejacentes ao terreno paleopoligonal enterrado sugere que houve uma notável transformação paleoclimática algum tempo depois.”

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.