Mistério dos gêmeos idênticos: quando um tem demência, ambos enfrentam uma vida mais curta

por Lucas
0 comentário 18 visualizações

A relação intrincada entre demência e expectativa de vida tem sido objeto de extensa pesquisa. Um recente estudo em larga escala envolvendo gêmeos suecos lançou nova luz sobre essa conexão. Este estudo focou em gêmeos onde um dos irmãos foi diagnosticado com demência, enquanto o outro não foi. Incluiu quase 1.000 indivíduos com demência que eram gêmeos e quase 3.000 gêmeos saudáveis. Os resultados deste estudo foram significativos para entender as implicações da demência na expectativa de vida, não apenas para aqueles diretamente afetados pela condição, mas também para seus gêmeos.

Expectativa de Vida Pós-Diagnóstico de Demência

Uma descoberta chave do estudo foi a confirmação da expectativa de vida após um diagnóstico de demência. Em média, indivíduos com demência viveram cerca de 7 anos após o diagnóstico. Isso está alinhado com estimativas anteriores que sugeriam uma faixa de cerca de 3 a 7 anos. No entanto, o estudo foi além de apenas confirmar essas estimativas. Ele se aprofundou na comparação entre as expectativas de vida de gêmeos, examinando especificamente a diferença na longevidade entre gêmeos onde apenas um irmão tinha demência.

A pesquisa revelou que pessoas sem demência geralmente sobreviveram àqueles com a condição. Isso era um resultado esperado, considerando o impacto da demência na saúde de um indivíduo. No entanto, o estudo trouxe um aspecto intrigante à luz – as expectativas de vida de gêmeos idênticos eram mais semelhantes do que as de gêmeos fraternos após um gêmeo em cada par ser diagnosticado com demência. Isso aponta para um componente genético significativo na influência da demência na expectativa de vida.

Fatores Genéticos e Influências Ambientais

O foco do estudo em gêmeos proporcionou uma oportunidade única para explorar os papéis da genética e do ambiente nos resultados de saúde. Gêmeos, especialmente os idênticos, compartilham uma parte significativa de sua composição genética. No entanto, sua exposição a fatores ambientais e escolhas de estilo de vida podem variar amplamente após a infância. Ao comparar gêmeos idênticos e fraternos no contexto da demência, os pesquisadores puderam isolar o impacto das influências genéticas versus ambientais na expectativa de vida.

Os achados sugeriram que gêmeos idênticos, que compartilham mais material genético, tinham expectativas de vida mais semelhantes, independentemente de um gêmeo desenvolver demência. Em contraste, gêmeos fraternos, que compartilham menos material genético, exibiram uma maior disparidade na expectativa de vida quando um gêmeo tinha demência. Isso indica que a genética desempenha um papel crucial na determinação da expectativa de vida de indivíduos com demência e possivelmente também em seus gêmeos que não desenvolvem a condição.

Além disso, o estudo observou que indivíduos saudáveis com um gêmeo diagnosticado com demência tinham um risco ligeiramente aumentado de uma expectativa de vida mais curta em comparação com aqueles de pares de gêmeos onde nenhum tinha demência. Isso sugere que os riscos associados à demência não estão confinados apenas ao indivíduo diagnosticado, mas podem se estender ao seu gêmeo geneticamente idêntico, potencialmente devido a fatores genéticos compartilhados.

A pesquisa utilizou dados do Registro de Gêmeos Sueco, um estudo de coorte abrangente que engloba mais de 45.000 gêmeos suecos. Isso incluiu 90 pares de gêmeos idênticos, 288 pares de gêmeos fraternos e 5 pares de gêmeos de zigoticidade desconhecida. Tal tamanho de amostra confere credibilidade às descobertas, embora a replicação em outros registros de gêmeos fora da Suécia possa fortalecê-las ainda mais.

A maioria dos casos de demência no estudo era de doença de Alzheimer, indicando que as descobertas podem ser particularmente relevantes para essa forma de demência. No entanto, isso também abre a questão de se esses padrões se mantêm verdadeiros para outros tipos de demência.

Este estudo, publicado em Alzheimer’s & Dementia: The Journal of the Alzheimer’s Association, sublinha a complexidade do impacto da demência na expectativa de vida. Ele destaca não apenas os efeitos diretos da doença naqueles diagnosticados, mas também suas possíveis implicações genéticas para seus gêmeos, oferecendo uma nova perspectiva sobre a influência familiar mais ampla da demência.

Deixar comentário

* Ao utilizar este formulário você concorda com o armazenamento e tratamento de seus dados por este site.